Associação entre condições meteorológicas de inverno e doenças respiratórias

 Associação entre condições meteorológicas de inverno e doenças respiratórias

São Paulo – SP 15/6/2021 –

O clima frio está relacionado ao aparecimento e agravamento de certas doenças

Desde os primórdios da humanidade os diversos tipos de tempo atmosférico vêm sendo relacionados à saúde das pessoas. O agravamento de determinadas doenças em sua maioria está relacionado com eventos climáticos extremos, ou seja, está ligado a um evento inesperado.


Temperaturas altas ou baixas, umidade relativa do ar muito baixa, concentração de material particulado (dispersado pelo vento), são alguns exemplos de eventos que podem agravar algumas mazelas relacionadas à saúde humana, ocasionando assim, dores de cabeça, arritmias cardíacas, inchaço de membros inferiores, irritação nos olhos e, principalmente, o agravamento dos problemas respiratórios.

As variações climáticas bruscas são fatores evidentes de como o ritmo climático pode afetar sobremaneira a saúde dos indivíduos. É importante salientar que a sucessão dos tipos de tempo atmosféricos não causa doenças, e sim, agravam doenças pré-existentes.

Segundo pesquisa realizada por Sartori, publicada na Revista Brasileira de Climatologia, intitulada “Clima e percepção geográfica: fundamentos teóricos à percepção climática e à Bioclimatologia Humana”, de 2014, existem dois aspectos básicos da influência climática na doença e na saúde humana: a relação dos fatores climáticos com organismos doentes ou seus portadores e os efeitos do tempo e clima na resistência do corpo.

As condições de tempo por si só não provocam as enfermidades. Porém, é notório o agravamento dessas doenças, particularmente, em pessoas mais debilitadas e vulneráveis, geralmente idosos e crianças.

O funcionamento do corpo, na maioria das vezes, responde negativamente quando há uma variação dos tipos de tempo, em especial, quando há uma amplitude (térmica ou higrométrica) diária significativa.

Quando ocorre uma diminuição da temperatura corporal humana (sendo esta ideal em torno de 36°C a 37°C), configura-se um quadro de hipotermia e o principal mecanismo de controle é a vasoconstrição. Esse processo desencadeia diversos problemas circulatórios em pessoas debilitadas e com histórico de saúde comprometido (hipertensão, diabetes, alcoolismo, fumantes, cardiopatas), inclusive o AVC, devido ao estreitamento das veias que ficam comprometidas por placas de gordura. Em relação à hipertermia, ou seja, quando a temperatura corporal está acima de 37°C, ocorre a vasodilatação, que se configura no alargamento das veias e artérias.

Deste modo, as relações entre variações climáticas e a saúde humana são complexas, pelo fato de dependerem da intensidade, duração e variação (abrupta) do tempo, além da sensibilidade de cada indivíduo.

Website: http://www.farmabit.com.br

Outras notícias