Employer branding auxilia empresas a driblarem a concorrência

 Employer branding auxilia empresas a driblarem a concorrência

16/6/2021 –

Relacionamento com os colaboradores apoia na retenção de talentos e na reputação das marcas

Com o crescimento das redes sociais, as empresas são cada vez mais desafiadas pela concorrência, tanto para retenção de talentos, quanto de clientes. Uma pesquisa da Kantar revelou que a utilização do Instagram cresceu 69% durante a pandemia. Enquanto outro dado mostrou que o LinkedIn – maior rede social focada em networking da atualidade – tem cerca de 100 mil usuários novos por semana, sendo que a criação de conteúdo pelos usuários aumentou aproximadamente 50% somente no primeiro semestre de 2020.


Por isso, a necessidade de construir e trabalhar uma marca é indispensável. É nesse contexto que entra o conceito de employer branding, estratégia que tem 3 principais propósitos: atrair novos talentos, reter bons funcionários e reduzir o turnover.

O employer branding trabalha a reputação da empresa focando no público interno, ou seja, os colaboradores. O objetivo é melhorar o bem-estar dos profissionais, entendendo o que desejam para o local em que trabalham, assim fidelizando-os.

Impactos da reputação da marca

A forma que a empresa é vista impacta diretamente no fechamento de negociações, pois uma imagem positiva agrega valor à marca, tornando-a de renome. Do contrário, uma imagem negativa pode resultar em crises e prejuízos.

Além disso, outra vantagem da melhoria do ambiente de trabalho é a redução da rotatividade de funcionários na empresa, o que gera economia de custos e burocracia com papelada.

Por isso, a empresa precisa pensar em como elevar o nível de satisfação dos colaboradores, atendendo às suas necessidades. Assim, resultará em uma equipe de profissionais mais produtivos e engajados.

Dessa forma, os colaboradores se tornam defensores da marca, ou seja, são propícios a divulgar uma imagem positiva da empresa, fortalecendo-a. Isso impulsiona a retenção de talentos, pois faz com que os profissionais enxerguem a empresa como um local desejável para se trabalhar.

O salário não é tudo

Uma ação fundamental para reduzir a rotatividade da empresa é oferecer cursos e treinamentos. Com isso, se fideliza os colaboradores, que se sentirão incentivados a buscar novos desafios e engajados com a marca, pois irão constatar que seu trabalho é valorizado e importante para a empresa.

Além do mais, um dos principais critérios avaliados na busca por novos empregos são os benefícios oferecidos pelas empresas e a oportunidade de crescimento. Ao aceitar uma proposta de trabalho, os profissionais levam em consideração não só o salário, mas a ajuda com vale alimentação, planos de saúde, convênios e planos de carreira.

A comunicação é um fator essencial

Quando a empresa não compartilha informações com os colaboradores, acaba deixando-os inquietos, além de estimular ruídos de comunicação. Para evitar isso, é importante fazer pesquisas internas, transmitir comunicados e informar os colaboradores sobre o que está acontecendo na empresa. Dessa forma, novamente a sensação de pertencimento será reforçada, e as equipes se sentirão mais engajadas com a marca.

Uma solução prática para oferecer uma comunicação universal, mesmo quando feita em diferentes sedes e turnos, é a utilização de painéis digitais, que podem ser colocados em um local de fácil visualização, onde todos os colaboradores tenham acesso.

Aloisio Arbegaus conclui: “Por fim, é preciso ter em mente que employer branding é uma estratégia de médio e longo prazo, e que para ter sucesso os colaboradores precisam se sentir acolhidos e engajados constantemente e não só num curto período de tempo. Assim, se garante que eles se tornem embaixadores da sua marca”.

Assinado por: Aloisio Arbegaus – Diretor do Mobuss TV

Website: http://www.teclogica.com

Outras notícias