A importância de um sistema de gestão para pequenas e micro empresas

 A importância de um sistema de gestão para pequenas e micro empresas

No Brasil existem mais de 21 milhões de empresas ativas, segundo levantamento do escritório de contabilidade, Contabilizei, realizado a partir de dados da Receita Federal. Desse total, mais de 90% são micro e pequenas empresas (MPE), que respondem por 30% do PIB e por mais de 50% dos postos de trabalho no país, de acordo com dados da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Os pequenos e microempreendedores desempenham um papel fundamental para o desenvolvimento da economia do país, mas por terem uma operação reduzida, acabam acumulando funções e não avançam na pauta sobre digitalização do negócio.

“Antigamente existiam poucos sistemas de gestão no mercado e eram tão caros que somente as grandes organizações utilizavam a ferramenta. Hoje em dia há diversas opções de ERP e muitas delas direcionadas para as pequenas empresas, com preços acessíveis que custam menos que um cafezinho por dia”, disse Ricardo Sanches, gerente de produtos do Lukro, franquia que desenvolve softwares inteligentes.


O ERP é um software de gestão que reúne diferentes informações da empresa em um só local, integrando todos os processos e proporcionando ao empresário o controle total do negócio. No caso de uma empresa de varejo, por exemplo, o sistema permite gerenciar o estoque, os pedidos, o fluxo de caixa, as contas a pagar e receber, cadastrar produtos e clientes, emitir boletos e notas fiscais, analisar os compromissos fiscais e tributários, integrar com outros sistemas, entre outras funcionalidades.

“A ferramenta de gestão garante uma operação mais ágil e eficiente, e reduz drasticamente as chances de falhas, fraudes e prejuízos, porque tudo está sob o controle do gestor, que consegue acessar qualquer informação da empresa com um clique. Além disso, o sistema automatiza muitas atividades que antes eram feitas de maneira manual e que consumiam muito o tempo do empreendedor, possibilitando que ele possa focar em outras atividades importantes da empresa, como marketing, vendas e crescimento do negócio”, explicou Ricardo da franquia Lukro.

A Fundação Getulio Vargas (FGV) e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) fizeram um mapa de digitalização das micro e pequenas empresas brasileiras, que revelou que 66% delas ainda estão no nível inicial da maturidade digital. Para quase 40% dos entrevistados a dificuldade dessa transformação está na falta de recursos, estratégias e conhecimento sobre como trilhar esse caminho mais tecnológico, porém 68% dos empresários estão abertos a acelerar a maturidade digital em seus negócios.

Outras notícias