Comercialização de imóveis novos em São Paulo cresce 20,2% em abril

 Comercialização de imóveis novos em São Paulo cresce 20,2% em abril

A Pesquisa Secovi-SP do Mercado Imobiliário (PMI), realizada pelo departamento de Economia e Estatística da entidade, apurou em abril deste ano a comercialização de 5.494 unidades residenciais novas na cidade de São Paulo. O resultado é 34,6% superior às 4.083 unidades vendidas no mesmo mês de 2021. Em relação ao mês anterior, houve queda de 15,4%.  

No acumulado de 12 meses (maio de 2021 a abril de 2022), as 68.659 unidades comercializadas representaram aumento de 20,2% em relação ao período anterior (maio de 2020 a abril de 2021), quando foram negociadas 57.124 unidades.  

Para o economista-chefe do Secovi-SP, Celso Petrucci, apesar do cenário 2022 ser sensivelmente pior que o de 2021, as vendas de imóveis continuam saudáveis. “Os últimos doze meses encerrados em abril de 2022 mostram que estamos num patamar alto de vendas anuais, apesar de não termos a certeza que a tendência deste ano será a de superar as vendas de 2021”, reflete Petrucci. A pesquisa também apurou o Valor Global de Vendas (VGV) na capital paulista. O índice totalizou em abril R$ 2,74 bilhões, resultado 54,5% maior que o de abril de 2021 (R$ 1,77 bilhão).  


No acumulado de 12 meses (maio de 2021 a abril de 2022), o VGV acumulado na capital paulista totalizou R$ 33,6 bilhões, ficando 8,5% acima dos R$ 30,9 bilhões registrados no período anterior (maio de 2020 a abril de 2021). Outro índice analisado pela PMI foi o de Vendas Sobre Oferta (VSO). O indicador, que apura o percentual de vendas em relação ao total de unidades ofertadas, atingiu 8,2% em abril, registrando retração de 8,8% frente ao resultado de abril de 2021. O VSO de 12 meses (maio de 2021 a abril de 2022) foi de 53,7% abaixo dos 57,7% do intervalo entre maio de 2020 e abril de 2021.  

De acordo com o levantamento do Secovi-SP, a cidade de São Paulo registrou no mês de abril o lançamento de 3.863 unidades residenciais, volume 18,8% inferior ao apurado em abril de 2021 (4.760 unidades) e 43,76% inferior a março de 2022 (6.869 unidades). No acumulado de 12 meses (maio de 2021 a abril de 2022), os lançamentos na capital paulista somaram 85.164 unidades, ficando 29,6% acima das 65.709 unidades lançadas no período anterior (maio de 2020 a abril de 2021).  

Tendências de imóveis 

Na análise por segmento, a Pesquisa Secovi-SP do Mercado Imobiliário mostrou que imóveis na faixa de 30 m² e 45 m² de área útil estão em destaque no cenário da capital paulista. Imóveis nestas configurações lideraram em todos os indicadores: vendas (3.010 unidades), VGV (R$ 756,3 milhões), lançamentos (1.644 unidades), oferta (28.328 unidades), VGO (R$ 7,7 bilhões) e VSO (9,6%).  

Não é à toa, portanto, que imóveis com valores até R$ 240 mil apresentaram os melhores indicadores de vendas (2.311 unidades) e VSO (10,3%). Os imóveis na faixa de R$ 240 mil a R$ 500 mil registraram a maior quantidade de lançamentos (1.574 unidades) e de oferta (24.112 unidades). Já os imóveis com preços acima de R$ 1,5 milhão lideraram em VGV (R$ 992,5 milhões) e VGO (R$ 13,1 bilhões).  

Segundo Fábio Garcez, CEO do CV CRM – Construtor de Vendas, a tendência dos apartamentos compactos veio para ocupar uma lacuna na sociedade altamente digital e tecnológica atual. “Houve mudanças sensíveis no comportamento das famílias e no estilo de vida de todos, tanto no Brasil como no mundo”, conclui Fábio.  

De acordo com o IBGE, ter filhos já não é prioridade para o brasileiro há muito tempo e a idade média de casamento é acima dos 30 anos. Este contexto faz com que a habitação seja pensada de forma diferente e as construtoras e incorporadoras já perceberam isso. 

Outras notícias