Consultoria usa graffiti para incentivar criatividade dos profissionais

 Consultoria usa graffiti para incentivar criatividade dos profissionais

Um olhar para fora, a partir da aproximação cultural; um verbo de autoafirmação; e uma marca forte. Estes são os três elementos que formam o bAMque-se, programa inovador da Alvarez & Marsal que utiliza o graffiti como ferramenta de estímulo à criatividade e ao aumento da capacidade de comunicação dos profissionais de Technology da empresa. Literalmente, com a mão na lata e, em contato direto com a natureza, diretores e gerentes encontram na arte outras formas de se relacionar com possíveis novos clientes.

A ideia surgiu quando a equipe – técnica e com habilidades focadas no digital – sentiu que poderia ampliar sua colaboração para a plataforma de negócios da A&M. O setor entendeu que se recebesse informação e formação adequada, seria capaz de alcançar resultados expressivos. A partir disso, coube ao setor de RH pensar em um formato que atendesse a demanda. E assim, com a proposta de tirar os participantes da zona de conforto, nasceu o bAMque-se.

O start do programa aconteceu no último dia 23, em caráter piloto, e teve o grafiteiro Andy Hope – um dos mais respeitados do país – como instrutor. Com base nas suas experiências, o artista trouxe temas e situações cotidianas para serem ilustradas pelos participantes. Com tinta spray, as telas, antes em branco, ganharam vida e celebraram o sucesso do workshop.


“A proposta foi mudar. Tirar essa liderança do lugar comum e fazer um offsite desta equipe para que explorassem a essência da criatividade em manifestações artísticas. Ou seja, bem distante do estereótipo de uma pessoa técnica, de um executivo. Então, estruturamos esse momento baseado nessa premissa. Um evento ao ar livre, fora das salas de hotel ou baias dos escritórios”, explica Lilian Giorgi, diretora Sênior de RH da A&M.

A gestora também comenta sobre a dificuldade que a técnica envolve. Para Lilian, o principal desafio era combinar as habilidades para que o objetivo fosse cumprido. “O ato de grafitar é muito mais complexo do que parece quando você vê uma obra no muro. Existe toda uma preparação conceitual, como o desenho conversa com aquele espaço, como aquele desenho compõe a paisagem urbana, como aquilo de fato pode ser incorporado pelo imaginário público e coletivo”, afirma.

O mix de skills ficou evidente no resultado final. Para isso, os participantes foram divididos em seis equipes e tinham como meta montar um plano de negócio inédito e depois um pitch de vendas do produto final. Vale frisar que a parte da inspiração para o nome do programa vem do artista britânico Banksy, conhecido por suas obras reflexivas e bastante provocativa. A outra referência é a própria Alvarez & Marsal, que busca sempre inovar em seus projetos. Em breve, a ideia será reproduzida para outros setores da empresa.

“Parte do que somos na A&M vem da criação de novos negócios e estar aberto a isso, ser uma pessoa que esteja orientada ao negócio, aberta aos relacionamentos, com boa capacidade de comunicação, oratória e de conjugar essas habilidades interpessoais é imperativo. Então, cada um precisa, de fato, ‘se bancar’ e afirmar a sua força como profissional e indivíduo, sem que isso signifique algum tipo de postura arrogante ou algo do tipo. Se bancar no sentido que o profissional saiba que tem essa competência e está orientado para os resultados da firma”, finaliza Lilian.

Outras notícias