Dori registra crescimento de 30% nas vendas e atinge EBITDA recorde no primeiro

 Dori registra crescimento de 30% nas vendas e atinge EBITDA recorde no primeiro

Os três primeiros meses de 2022 foram de excelentes resultados para a Dori Alimentos. As três categorias de produtos – snacks saudáveis de amendoim, sweet snacks e snacks de chocolate – registraram crescimento de dois dígitos no volume de vendas em comparação ao mesmo período do ano anterior, atingindo 24,2 mil toneladas, e crescimento de 30% da receita bruta, totalizando R$ 342 milhões no trimestre. Também, em linha com a estratégia de longo prazo, a empresa expandiu sua presença no varejo para mais de 215 mil pontos de venda. 

“Nossa posição de liderança no início do ano foi reforçada com ações da equipe de trade marketing, com lançamento e exposição de produtos nas lojas dos nossos clientes. Nas ações da Páscoa, por exemplo, foram mais de 29 mil exposições em pontos de venda em todo o Brasil durante um período de mais de dois meses”, explica Ronald Domingues, Diretor Administrativo Financeiro e de RI.

Com oito centros de distribuição estrategicamente localizados em diferentes regiões do Brasil, a empresa consegue capilaridade para atender todo o território nacional. “Atingimos mais de 215 mil pontos de venda em março, crescimento de 33% se comparado com o mesmo trimestre de 2021 e planejamos ampliar ainda mais o alcance dos nossos snacks”.


Ainda segundo o executivo, o resultado destes três primeiros meses do ano pode ser medido pelo melhor EBITDA do primeiro trimestre, de R$ 37,0 milhões, 30% superior ao mesmo período de 2021. Nesse mesmo intervalo, a Dori alcançou retorno sobre o capital investido (ROIC) de 20,7% e retorno sobre Patrimônio Líquido (ROE) de 34,1%.

Para alongar e reduzir o custo da dívida da companhia, no final de março de 2022, a Dori emitiu R$ 200 milhões em certificados de recebíveis do agronegócio (CRA) Sustainability-linked (SLB) com vencimento em cinco anos, a primeira oferta pública da Dori. Os coordenadores foram Safra (líder) e UBSBB e a securitizadora foi a Opea. De acordo com a empresa, a demanda pelos papéis superou em mais de 50% o volume ofertado. 

Outras notícias