Ferramentas low-code auxiliam na produtividade dos colaboradores

 Ferramentas low-code auxiliam na produtividade dos colaboradores

Elemento que é parte integrante do desempenho de todo negócio, a produtividade brasileira é quatro vezes menor do que a dos Estados Unidos. A informação faz parte de um levantamento realizado pela entidade americana The Conference Board, que revela que o país ocupa a 75ª colocação no ranking mundial de desempenho da produtividade e a 15ª posição em relação aos vizinhos latino-americanos.

O estudo ainda indica que os profissionais do país levam uma hora para cumprir a mesma tarefa que um trabalhador estadunidense consegue realizar em 15 minutos e um alemão ou coreano em 20 minutos, respectivamente. Atrasos na formação e na infraestrutura das empresas podem estar por trás da baixa produtividade, o que afeta os resultados, conforme afirmação de especialistas consultados pelo portal UOL. 

Diante disso, os empreendimentos têm buscado implementar ferramentas para auxiliar na produtividade dos colaboradores, reporta Marcelo Menezes, cofundador da Lean Solutions, empresa que atua com treinamentos corporativos e transformação digital. Para ele, as ferramentas low-code (“pouco código”, em tradução livre), tecnologia que dispensa amplo conhecimento em codificação, podem auxiliar na produtividade dos colaboradores.


“As ferramentas low-code são libertadoras para aquelas que não possuem conhecimento aprofundado em programação e desenvolvimento. Treinamentos em ferramentas como a Power Platform, por exemplo, ajudam a emancipar equipes de logística, vendas, marketing, financeiro e contábil da necessidade do suporte da equipe de tecnologia”, explica.

Além disso, o desenvolvimento low-code é uma alternativa para validar e prototipar ideias de projetos da empresa. “Outro ponto interessante é que o tempo para desenvolvimento e o custo podem ser até dez vezes menor em relação ao desenvolvimento tradicional”, emenda.

Segundo análise da consultoria Gartner, até 2024, mais de 65% dos softwares e aplicativos serão desenvolvidos em low-code, com expansão média de 40% ao ano. De acordo com o relatório, o mercado movimentou cerca de US$ 13,8 bilhões (R$ 72,67 bilhões) em 2021 a nível mundial, uma alta de 22,6% em relação a 2020, quando foi alcançada a cifra de US$ 11,2 bilhões (R$ 58,98 bilhões).

Ferramentas low-code contribuem para maior produtividade 

Segundo Menezes, existem diversas ferramentas no mercado que podem contribuir para os negócios. “Em destaque, podemos citar a Power Platform (no ambiente corporativo) e o Bubble, para desenvolvimento de soluções web. A Power Platform une quatro ferramentas do pacote office (Power Automate, Power Apps, Virtual Agents e Sharepoint), permitindo desenvolver uma interface de controle e automação que aumenta o desempenho de equipes de forma significativa”.

Com o Bubble, por sua vez, é possível desenvolver aplicações web e interfaces praticamente arrastando caixinhas e fazendo conexões, complementa o cofundador da Lean Solutions. Isso dá a empresas menores a oportunidade de validar suas ideias e iniciar seus projetos sem precisar de grandes investimentos.

“O mercado de desenvolvimento low-code está aquecido. As empresas têm preferido contratar profissionais com habilidade de desenvolvimento para cada setor da empresa. Assim, há ganho com celeridade no desenvolvimento de soluções, permitindo que a equipe tenha as demandas solucionadas de forma simples e com baixo investimento”, finaliza o cofundador da Lean Solutions.

Para mais informações, basta acessar: https://www.leansolutions.com.br/power-platform-curso

Outras notícias