Projeto do Sebrae pode auxiliar 40 milhões de empreendedores

 Projeto do Sebrae pode auxiliar 40 milhões de empreendedores

Previsto para 2022, um programa de microcrédito anunciado pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) deve impulsionar os negócios de 25 milhões a 40 milhões de empreendedores do país. Segundo a entidade, o programa contará com o apoio da Caixa Econômica Federal, do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento), do Banco do Brasil e de instituições de fomento regionais. 

O projeto deve conceder crédito mínimo de R$ 500 com taxas de juros reduzidas, conforme afirmação do presidente do Sebrae, Carlos Melles, em entrevista ao jornal O Povo. No total, mais de 40 organizações financeiras participarão direta ou indiretamente.

Na visão de Ozni Batista, empreendedor, criador da Imersão DNA e presidente do grupo OBx Educação – empresa que atua com treinamentos comportamentais -, o projeto de concessão de microcrédito do Sebrae previsto para este ano poderá ensejar a formação de novos empreendedores que, potencialmente, poderão se tornar líderes no mercado.


“Considerando que a aplicação do programa seja executada de acordo com as promessas do presidente, parece-me um projeto excelente para fomentar o empreendedorismo no país”, afirma. “Com toda certeza, um projeto dessa magnitude pode mudar a vida de muitos empreendedores e construir líderes e empresas que promovam a evolução do Brasil como um todo, gerando empregos e trazendo soluções melhores para toda a sociedade”.

O especialista acredita que, com o avanço da internet e a democratização da informação de qualidade, o empreendedorismo no Brasil tem avançado muito. “Hoje, jovens de 16 anos já conseguem empreender por meio da web, vendendo conhecimento e diversos produtos e serviços, o que é ótimo”, pontua.

Batista compartilha conteúdo nas redes sociais digitais a fim de orientar empreendedores  a atuar de forma assertiva no mercado e busca difundir informações, estratégias e métodos de criação de negócios que aprendeu ao longo de sua trajetória de estudos e atuação profissional. Ele avalia que a facilidade de aprendizado, com fácil acesso a materiais de estudo na internet e redes de apoio, estimula a criação de novos negócios no país. “Sou otimista quanto à evolução do empreendedorismo no Brasil para os próximos anos”, afirma.

Para tanto, prossegue, iniciativas do governo, como redução nas taxas de impostos, principalmente para micro e médias empresas, e diminuição de burocracias, são essenciais para a abertura e o sucesso de novos negócios.

Com efeito, a soma de brasileiros à frente de negócios com mais de 3,5 anos cresceu no último ano. De acordo com pesquisa da GEM (Global Entrepreneurship Monitor) 2021, lançada em março, conduzida pelo Sebrae e pelo IBQP (Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade), o Brasil tem 14 milhões de empreendedores de 18 a 64 anos, o que representa 9,9% da população adulta – uma expansão de 1,2 ponto percentual em relação a 2020. Com isso, o país passou da 13ª para a 7ª posição na classificação de empreendedorismo global em um ranking de 50 países. 

Para mais informações, basta acessar: https://www.oznibatista.com.br/como-transformar-focar-em-medo

Outras notícias