Proptech ítalo-britânica quer construir 10 cidades inteligentes até 2025

 Proptech ítalo-britânica quer construir 10 cidades inteligentes até 2025

De olho no Brasil como um mercado amplo para a implantação de cidades inteligentes, a empresa ítalo-britânica Planet Smart City pretende expandir a sua atuação implantando 10 de seus projetos no âmbito nacional até 2025. O primeiro deles em fase de finalização é a Smart City Laguna, que já abriga mais 200 famílias, em uma área de 330 hectares em São Gonçalo do Amarante, no Ceará, distante apenas 55 km da capital Fortaleza.

O projeto de grandes proporções abriga diferentes classes sociais. Só para se ter uma ideia, a menor das casas, de 55 metros quadrados, custa a partir de R$ 120 mil e a maior pode chegar até R$ 156 mil. “Cidades inteligentes existem no mundo inteiro, mas elas são feitas para pessoas com alto poder aquisitivo. As nossas cidades proporcionam moradias de alto padrão a preços acessíveis para todos, sendo o oposto das construções similares já realizadas no Brasil”, explica Susanna Marchionni, CEO no Brasil da Planet.

A executiva comenta que o projeto poderia ter sido facilmente construído mirando em outro público, mas, desde o início, ele foi pensado para gerar impacto positivo na sociedade como um todo. “A nossa forma de trabalhar mira na vasta oferta de serviços gratuitos, estruturas urbanas de viés sustentáveis e tecnológicos, que, apesar de remeterem à imagem de um condomínio fechado, é livre de muros ou quaisquer limitações”, ressalta a CEO. 


Uma das vantagens disponíveis entre os moradores é o compartilhamento de serviços e produtos, que conseguem dividir bicicletas e carros por meio do próprio aplicativo da cidade, barateando a vida na cidade, reduzindo o desperdício e otimizando o tempo. Em relação à pauta ecológica, Laguna possui 620 mil metros quadrados em áreas verdes distribuídas por toda a cidade.

Outro ponto importante é a proposta de inclusão. A Smart City Laguna conta com um Hub de Inovação no coração social da cidade. Ali é onde os moradores e a comunidade do entorno, podem experimentar e aprender através das soluções inteligentes disponíveis na cidade. O lugar é sede da biblioteca, do cinema e das atividades gratuitas do Instituto Planet, como cursos de tecnologia, inglês, empreendedorismo e artesanato.

Expansão dos projetos

A proptech possui sete cidades inteligentes distribuídas pelo mundo, sendo três somente no Brasil: Smart City Laguna (CE), Smart City Aquiraz (CE) e Smart City Natal (RN). Além delas, há os condomínios inteligentes em São Paulo nas regiões de Bela Vista, Itaquera, Jabaquara, Freguesia do Ó e Bela Vista. Os projetos da capital paulista têm o objetivo de formar uma comunidade tecnológica, inclusiva e integrada. E, para que isso funcione da melhor forma, a economia compartilhada é também incentivada entre os moradores, promovendo um estilo de vida integrado e colaborativo. “ Em junho do ano passado, em uma importante operação, conseguimos arrecadar US$ 53 milhões com o grande objetivo de abrir capital na Nasdaq até o final de 2023. O nosso planejamento prevê arrecadar US$ 200 milhões de dólares para ampliar o nosso portfólio de projetos. Daqui a dez anos pretendemos ser o maior player mundial do setor de cidades inteligentes”, finaliza Susanna Marchionni.

Outras notícias