Advogada de bandido morto por sniper disse que ele foi executado e que iria se entregar

 Advogada de bandido morto por sniper disse que ele foi executado e que iria se entregar

Marcello Carvalho

Todas as pessoas têm direito à defesa, e o bandido que foi morto por um sniper no Jardim Campina Verde após o assalto ao carro-forte no Aeroporto de Viracopos não podia ser diferente.

A advogada de Luciano Santos Barros, que fez refém mãe e filha de 10 meses dentro de casa, disse que seu cliente foi executado e que não foi dada a chance para que ele se entregasse.

Alessandra Jirardi disse que a polícia sabia que ela estava a caminho e que ele iria se entregar, mas mesmo assim houve o tiro fatal. Ela é de São Paulo e estava a caminho. O bandido disse para ela que iria se entregar, segundo o que disse.


O Gate disse que as negociações se arrastavam há três horas e que já tinham sido feitos todos os contatos possíveis, inclusive com a advogada, que não chegava. Em um determinado momento, Luciano, que estava com uma arma apontada para a cabeça da vítima, surtou, e nessa hora o sniper entrou em ação.

Alessandra disse que seu cliente era réu primário e trabalhador, e reforçou que estava apenas esperando a sua chegada para fazer a rendição, o que acabou não ocorrendo. Ela condenou a ação da polícia.

Da Redação ODC.

Outras notícias

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *