Após reconstituição, defesa aponta inconsistências em crime de Vinhedo

 Após reconstituição, defesa aponta inconsistências em crime de Vinhedo

A Polícia Técnico-Científica reconstituiu, na manhã e tarde desta quinta-feira, o assassinato de Alex Luís Pinheiro, ocorrido no Natal de 2019 em uma rua do bairro Capela, em Vinhedo.


A reconstituição contou com a presença de Flávio Francisco Thomé, um dos cinco acusados de participar da briga generalizada que resultou na morte de Alex.

“Apesar de a lei não obrigar, Flávio quis participar da reconstituição para apresentar a sua versão e comprovar que não é o autor da facada que provocou a morte de Alex. Por esse mesmo motivo, ele se apresentou quando sua prisão preventiva foi decretada”, explica o advogado de defesa José Sérgio do Nascimento Junior, que representa quatro integrantes da família acusada de homicídio triplamente qualificado e tentativa de homicídio triplamente qualificada.

Além de Flávio, Natália dos Santos da Silva, José Francisco da Silva, Suely Santos da Silva e Michel Francisco Simões foram denunciados pelos crimes.

Acusado de homicídio, Flávio está preso desde outubro do ano passado.

“Hoje ele apresentou a mesma versão apresentada durante depoimento em juízo. Ele confirma ter agredido André, irmão de Alex, em legítima defesa, mas afirma que o autor do golpe que matou Alex foi desferido por seu primo Michel, que também teve a prisão preventiva decretada e está foragido”, completa Nascimento.

Na avaliação da defesa, a reconstituição demonstrou inconsistências na denúncia apresentada pelo Ministério Público.

“Segundo a acusação, Flávio teria começado a briga com Alex. Ficou demonstrado na perícia que em nenhum momento Flávio se aproximou de Alex e que ele brigava com André quando Alex foi atingido pela facada”, conta o advogado.

Outra inconsistência da acusação que ficou demonstrada, ainda segundo a defesa, refere-se à eventual participação de Natália e Sueli em uma agressão contra André utilizando uma barra de ferro.

“As mulheres que estavam próximas de Flávio e André na briga eram Natália e Lurdes, que é mãe do Flávio. Elas tentaram apartar a briga e em nenhum momento Sueli se aproximou ou agrediu André”, explica Nascimento.

A acusação alega que Michel e José Francisco chutavam André, mas a reconstituição revelou que José Francisco não estava presente no local.

“Michel não chegou perto de André em nenhum momento. Ele entrou em luta corporal com Alex, e José Francisco nem estava na rua no momento que a briga começou”, diz o advogado.

Próximos passos

Com base nas informações e perícias realizadas no local, a Polícia Técnico-Científica apresentará um relatório da reconstituição.

“A defesa terá um prazo para analisar e apresentar ponderações. Se não houver nada a ser questionado, é aberto prazo para o MP analisar o relatório e apresentar alegações finais”, afirma o advogado de defesa.

Após análise do relatório, o MP tem prazo de 5 dias para apresentar as alegações finais e poderá manter as acusações feitas na denúncia, alterar o conteúdo ou pedir a absolvição dos acusados.

“Após a conclusão da análise do MP, a defesa tem o mesmo prazo para apresentar suas alegações finais”, completa Nascimento.

Outras notícias