As novas técnicas do mercado para o tratamento e cuidado das cicatrizes

3

As cicatrizes apresentam formas variadas, tamanhos e profundidades, e podem surgir a partir de procedimentos cirúrgicos, acidentes ou espinhas, qualquer tipo de trauma causado à pele. Com o trauma, a camada epitelial necessita se curar e então inicia um processo de cicatrização que pode acabar deixando marcas maiores ou menores, isso depende da causa e local do trauma.

Quando ocorre o processo de cicatrização, cada pele e local podem ficar diferentes podem comprometer a movimentação do local afetado. As cicatrizes possuem um período de evolução diferente entre si, necessitando de seis até 24 meses para melhorarem totalmente e podem se tornar menos perceptíveis durante esse período. As cicatrizes chamadas hipertróficas que são em alto relevo podem chegar a regredir com o passar do tempo, porém se houver formação de um queloide, há aumento do tamanho e o alto relevo causando coceira. Há as cicatrizes que são chamadas de contratura, que ocorrem após uma queimadura e essas marcas tendem a apertar o tecido epitelial, evitando a capacidade de movimentação cutânea.

Existem inúmeros tipos de cicatrizes e que necessitam de diversos tratamentos para amenizar seus efeitos, que podem ser aplicação de cremes até cirurgias plásticas. Sendo essencial salientar que as cicatrizes não desaparecem por completo o tratamento objetiva deixa-las menos perceptíveis, dependendo do local e o tipo de cicatriz. A avaliação inicial é muito importante para que o profissional realize a indicação do melhor tratamento.

TRATAMENTOS

O tratamento de qualquer cicatriz cutânea deve ser realizado o mais cedo possível para que os resultados sejam efetivos, havendo recomendação de luz pulsada ou Dye laser para evitar inflamação prolongada. Além de laser de CO2 e peelings químicos também podem ser utilizados.

Após o tratamento, geralmente as áreas podem ficar doloridas e avermelhadas, devem ser tratadas precocemente para evitar as famosas queloides. Se mesmo depois do procedimento a cicatriz se tornar hipertrófica, a mesma pode ser tratada por meio da infiltração de corticoide que diminui a inflamação e produção exagerada de fibras. Os lasers, como Dye Laser e Luz pulsada agridem os vasos e interrompem a inflamação também são utilizados para esse tipo de tratamento. Quando a cicatriz se torna hipertrófica não ocorre mais inflamação, ela pode ter tratada com microinfusão de medicamentos na pele MMP®. A medicação em questão serve para a fibrose e é introduzida na pele com uma máquina semelhantes à que realiza tatuagens, que vibra de forma constante e introduz o remédio com agulhas finas, e garante sua distribuição homogênea.

Também podem ser utilizadas pomadas especiais junto a placas de silicone, a melhor forma e mais indicada é tratar as cicatrizes precocemente para se conseguir os melhores resultados fisiológicos e estéticos para essas marcas tão perturbadoras. O microagulhamento é outro tipo de tratamento realizado no consultório do dermatologista que melhora significativamente o aspecto da cicatriz, cuja as lesões mais superficiais e recentes possuem uma resposta melhor que as mais antigas e maiores. É primordial que o paciente se atente às contraindicações dos tratamentos no geral, por exemplo, é contraindicado para pessoas que tem predisposição a queloides, que apresentam vitiligo ou alguma lesão inflamada próxima ao local já que o risco é de piorar a cicatriz. Se juntamente com as cictrizes houver manchas, pode ser associado o tratamento com eletrocautério, como o New Skin que atua com uma descarga de energia elétrica controlada para remoção superficial de pigmentos endógenos melânicos (melanina) e exógenos como maquiagem definitiva decorrente da técnica de micropigmentação.

Em casos de cicatrizes muito extensas ou profundas pode ser recomendada uma consulta com o cirurgião plástico, para melhorar o padrão estético. Assim, é essencial haver um acompanhamento com um profissional da área de dermatologia para realizar a avaliação correta e indicar a melhor forma de tratamento para a disfunção, pois cada pessoa possui sua particularidade levando em conta que diversos tratamentos possuem contraindicações. É essencial ter os cuidados necessários na cicatriz, como: hidratar adequadamente a pele para não ficar ressecada, higienizar a ferida, borrifar a água termal para controlar sensibilidade e realizar compressas de gelo para evitar o inchaço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui