Campinas organiza palestra para debater a violência de gênero

 Campinas organiza palestra para debater a violência de gênero

Foto: PMC

A Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos de Campinas organizou na manhã desta terça-feira, dia 7, no Teatro da IMA, uma palestra intitulada “Deixa o homem falar!”, sobre violência de gênero, ministrada pelo professor Sérgio Barbosa. O evento contou com a presença dos bolsistas do programa Juventude Conectada.


A iniciativa integra a Campanha do Laço Branco. O evento contou com presença do prefeito de Campinas, Dário Saadi, da secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, Vandecleya Moro, do presidente da IMA, Eduardo José Pereira Coelho, e do vereador Marcelo da Farmácia, representando a Câmara Municipal.

“Nós estamos em pleno século 21, em uma era de avanços e tecnologia, e envergonha saber da existência de casos de feminicídio e de violência contra a mulher. Temos de entender como postura de vida não aceitar nenhuma violência contra a mulher”, afirmou o prefeito Dário Saadi.

Já a secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, Vandecleya Moro, destacou a importância do homem no combate à violência de gênero: “segundo os dados do Sisnov, que discutimos sexta-feira passada, dia 3, a maior parte das agressões contra a mulher ocorre dentro de casa. É preciso disseminar a cultura de paz para edificarmos uma sociedade mais sustentável e digna para todos”, destacou.

Instituída pela Lei Municipal 16.103/2021, a ‘Campanha do Laço Branco’ tem como objetivo sensibilizar, envolver e mobilizar os homens no engajamento pelo fim da violência contra a mulher.

A data foi escolhida porque, no dia 6 de dezembro de 1989, Marc Lepine, de 25 anos, invadiu, armado, uma sala do curso de Engenharia da Escola Politécnica de Montreal (Canadá), ordenou que os homens saíssem, matou as mulheres e depois cometeu suicídio. Na ocasião, um grupo de homens elegeu o laço branco para mostrar que repudiavam a violência contra a mulher. Em 1991, o dia 6 de dezembro foi escolhido como data oficial para protestar contra esse tipo de violência.

As informações são da Prefeitura de Campinas.
Leia também: Hortolândia está sem água por problema na captação em Paulínia (de novo)

Outras notícias