Centro de Saúde faz atividades relacionadas ao Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças

 Centro de Saúde faz atividades relacionadas ao Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças

Foto: PMC

O Centro de Saúde “Maria da Penha Silva Manoel”, localizado no Jardim Santa Rosa, na região Noroeste de Campinas, reuniu nesta terça-feira, dia 17 de maio, 53 crianças para uma série de atividades relacionadas ao Dia de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, fixado anualmente em 18 de maio. As crianças, de 7 a 14 anos de idade, assistiram a um filme, participaram de gincanas e oficinas de conscientização sobre o tema. Foram duas turmas, no período da manhã e da tarde.

Os alunos são atendidos pela Associação Evangélica Assistencial (AEA), que realiza atividades no contra-turno escolar e já fez outras parcerias com o CS Santa Rosa. A ação relacionada à data, em especial, foi a primeira a ser feita pela unidade de saúde.

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, em 18 de maio, foi instituído com o intuito de mobilizar e engajar a sociedade contra a violação dos direitos sexuais de crianças e adolescentes. A data foi oficializada pela Lei Federal nº 9.970/2.000 e escolhida em memória de Araceli, uma menina de oito anos, de Vitória (ES), que foi violentada e assassinada em 18 de maio de 1973. O crime segue impune até hoje.


De acordo com a coordenadora do Distrito de Saúde Noroeste, Juliana Ahmed de Oliveira Ramos, a equipe da unidade usou atividades lúdicas para trabalhar esse tema sensível com as crianças e adolescentes. “Infelizmente, esse tipo de violência pode ocorrer até mesmo dentro das próprias famílias. As crianças precisam saber discernir se um determinado ato é uma violência e procurar ajuda, de um adulto em quem confiam e da escola”, disse.

Entre as atividades desta terça-feira foram realizadas gincanas, sessões de alongamento e relaxamento, oficinas de produção de bandeiras e balões de festa junina, pintura de rosto e desenho. O cronograma também incluiu a exibição de um curta-metragem sobre o livro “Não me toca seu boboca”, seguido de uma brincadeira de conscientização chamada de “semáforo do toque”. No período da manhã e da tarde, também teve pausa para um lanche com pães, frios e chocolate quente.

As informações são da Prefeitura de Campinas.
Leia também: Instalação de catracas no Terminal Central de Campinas é aprovada por 91% dos passageiros

Outras notícias