Cooperativas vão assumir linhas alimentadoras no BRT; Linhas atuais vão ser extintas ou transferidas

 Cooperativas vão assumir linhas alimentadoras no BRT; Linhas atuais vão ser extintas ou transferidas

Enquanto a prefeitura esconde o que pretende fazer com as linhas de ônibus após as obras do BRT, nós do ODC já vamos adiantar algumas coisas, de acordo com que as informações forem sendo confirmadas. Várias notícias já chegaram porém até o momento pouca coisa foi confirmada, por isso vamos divulgar apenas o que já é certeza que irá mudar.

A partir do ano que vem, todas as permissões das cooperativas circularão apenas nas linhas alimentadoras do BRT. Com ao menos quatro terminais / estações de transferência no meio dos corredores, várias linhas que hoje vão para o Centro deixarão de ir e elas serão cortadas nesses pontos. Esses itinerários serão feitos apenas pelos cooperados. Por conta disso, as linhas que eles operam hoje serão extintas ou modificadas e transferidas para as empresas de ônibus.

Linhas como 133, 135, 197 e 410 serão extintas. Quem opera nessas linhas passará a operar nas linhas alimentadoras dos terminais Campos Elíseos e Cidade Satélite Íris e nas Estações de Transferência Jardim Aurélia (ex-Terminal IAPI) e Jardim Santa Lúcia. Um exemplo de linha que deverá ser seccionada (ainda não está confirmado) é a 142 – Santa Terezinha, que deverá fazer ponto final na Estação de Transferência Jardim Santa Lúcia. Lá, o passageiro deverá desembarcar e pegar um ônibus do BRT Ouro Verde para ir ao Centro.


Ah mas e como será nas horas de pico, quando os ônibus já vão vir lotados do Terminal Vida Nova? Nesses horários serão implantadas linhas parciais, com saída dessas estações de transferência e terminais. São as chamadas “viagens parciais”, comum em qualquer BRT do mundo que se preze.

A EMDEC já adiou a implantação dessa transferência dos cooperados para as linhas alimentadoras algumas vezes e agora o novo prazo é março. De acordo com o que o ODC apurou, em março de 2019 50% dos perueiros deverão ir para as linhas alimentadoras dos terminais, linhas já existentes, e os outros 50% deverão ir apenas após o início do sistema BRT, por volta de julho ou agosto, dependendo do ritmo das obras.

As linhas do BRT estão sendo guardadas a sete chaves, inclusive algumas pessoas da EMDEC com as quais conversamos recentemente se negaram a passar qualquer informação, mas já sabe-se parte dos itinerários que deverão ser encurtados. Linhas como 244, 242, 229, 221, 231, etc, deverão ser todas seccionadas nos terminais de integração. Outras linhas como a 116 e a 134 deverão ter operação “mista”, ou seja, parte nos corredores e parte fora deles.

Em breve, mais novidades serão trazidas com exclusividade pelo ODC.

Da Redação ODC.

Outras notícias

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *