Curiosidades | Como estão vivendo os hipocondríacos com toda essa onda de coronavirus?

 Curiosidades | Como estão vivendo os hipocondríacos com toda essa onda de coronavirus?

A neurose por doença, ou hipocondria, está mexendo com a vida das pessoas durante essa pandemia de coronavirus. Como essas pessoas estão lidando com toda essa situação de pânico que se instalou no mundo de uma hora para a outra?

A BBC Brasil acompanhou um pouco a rotona do designer Guilherme Abo Arrage, que vive momentos de ansiedade em meio a todas essas ocorrências dos últimos dias. Desde que começou a trabalhar de casa, Arrage se sentiu mais tranquilo, já que não precisa mais usar o transporte público, e quando usava, evitava pegar nos balaústres (barras de segurar).

Arrage acredita ter uma “saúde de ferro” por fazer refeições balanceadas, atividades físicas e limpeza frequente das mãos. Ele também toma remédios quando nem está com algum sintoma de qualquer coisa que seja. O problema é que no dia 12/03 apareceu um caso de coronavirus na empresa onde trabalha.


Antes disso, quando pegava dois trens e um metrô para chegar ao trabalho, ele mudava de vagão sempre que alguém espirrava, e sempre limpava as mãos com o álcool em gel portátil que carrega. O designer também deixou de cumprimentar pessoas.

Após a confirmação do primeiro caso, todos de sua empresa foram encaminhados para trabalhar em casa, o que o deixou mais aliviado. A infectologista Rosana Richtmann, do Instituto Emílio Ribas, em São Paulo, diz que esse pânico todo é exagerado e desnecessário.

O problema, para ela, é que as informações chegam a todo momento e os números são atualizados com mais frequência que antigamente, pois o Brasil já passou por outras pandemias e nunca nada foi igual ao que acontece agora. Para ela, o desabastecimento de insumos é totalmente prejudicial, pois acaba tirando de quem precisa.

Da Redação ODC.

Outras notícias