Depois dos alimentos e dos carros, agora são os preços dos móveis que sobem quase 50%

 Depois dos alimentos e dos carros, agora são os preços dos móveis que sobem quase 50%

Como se não bastasse os altíssimos preços dos alimentos e dos carros, agora são os móveis que não param de subir. Nos planejados o reajuste já chegou a cerca de 50%.

Em móveis já prontos, o reajuste é de cerca de 20%. O problema desta vez está nos insumos e nas peças que são usados para fabricar os móveis, pois tudo isso ficou mais caro.

De acordo com um levantamento do canal EPTV, marceneiros estariam encontrando produtos como dobradiças e corrediças com preços praticamente triplicados.


As faltas de alguns itens também estaria prejudicando. Um deles são os colchões, que sumiram do mercado. Tudo isso se dá por conta da pandemia do novo coronavirus.

O ideal no momento é pesquisar muito os preços tanto de produtos prontos quanto de móveis planejados. Muita gente está levando apenas parte do que ia levar inicialmente e outros já até cancelaram os pedidos.

Uma das lojas localizadas em Campinas já teve uma série de cancelamentos por conta da demora na espera, que passou de 30 para 90 dias. Agora, com a chegada do natal, a situação poderá se agravar ainda mais.

Da Redação ODC.
Fonte: G1
Leia também: Homem mata a ex-cunhada a facadas depois de atingir ex-esposa e foge para SP

Outras notícias