DER iça vigas de nova ponte sobre o Rio Atibaia para o acesso a Sousas em Campinas

 DER iça vigas de nova ponte sobre o Rio Atibaia para o acesso a Sousas em Campinas

Foto: Divulgação / PMC

A obra de construção da nova ponte entre a Rodovia Dom Pedro I e o distrito de Joaquim Egídio terá uma etapa importante neste sábado, dia 21 de agosto, quando serão instaladas as vigas de suporte da passagem sobre o rio Atibaia. Serão cinco vigas de 32 metros de extensão e 70 toneladas cada uma, apoiadas nas cabeceiras da ponte.

A estrutura está sendo construída por uma empresa contratada pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER), do governo do Estado de São Paulo. Engenheiros da Secretaria de Infraestrutura acompanharão a execução do serviço.

A ponte está sendo erguida na altura do km 122 da Rodovia Dom Pedro I e vai se conectar à Estrada Municipal Dona Isabel Fragoso Ferrão (CAM-127). Para içar e lançar as vigas pré-moldadas serão usados dois guindastes de grande porte, um estacionado na CAM 127 e outro no acesso a partir da Rodovia Dom Pedro I.


Com a finalização da obra, prevista pelo DER para até o final deste ano, mais de duas mil pessoas que vivem em Joaquim Egídio, além dos visitantes que frequentam o distrito, serão beneficiadas pelo acesso mais rápido à região. A ponte também será importante para os moradores do Distrito de Sousas, que tem mais de 24 mil moradores, e dá acesso a outras cidades da região metropolitana de Campinas.

O custo da obra, integralmente assumido pelo DER, é de cerca de R$ 2 milhões. O Departamento tem um convênio com a Prefeitura de Campinas, por meio da Secretaria de Infraestrutura e com apoio da Secretaria do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, para a obtenção das licenças ambientais junto à Cetesb, agência ambiental do Estado de São Paulo.

A nova ponte está sendo construída nas proximidades da antiga ponte do Padre Abel, interditada desde junho de 2016 (com bloqueio total em 2019), por recomendação do Ministério Público. A providência foi baseada em estudos técnicos apresentados pela Agência de Transportes do Estado de São Paulo (Artesp), com apoio da concessionária Rota das Bandeiras.

Na época da interdição da ponte do Padre Abel, executada pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), o objetivo era evitar acidentes, garantindo a segurança da população. A antiga ponte foi construída há muitos anos sobre o Rio Atibaia com a função de ligar o então povoado de Joaquim Egídio ao caminho para Jundiaí e o porto de Santos, e foi originalmente executada em pedra e madeira. A estrutura é tombada desde 2013 e faz parte do patrimônio histórico de Campinas.

As informações são da Prefeitura de Campinas.
Leia também: Acesso à Hortolândia pela SP-101 ficará fechado por 5 dias a partir de sexta, dia 20/08

Outras notícias

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *