Um empresário de 32 anos de idade foi apontado como agiota e identificado como mandante de um homicídio ocorrido no fim de maio em um bairro de Piracicaba.

O homem, que é dono de uma fábrica de esquadrias e de uma hamburgueria, também é lutador de jiu-jitsu. O crime encomendado teria sido por uma dívida não paga. A prisão do criminoso aconteceu em 31 de julho, porém divulgada apenas agora.

O caso foi esclarecido pela delegacia civil local. A vítima foi morta em uma emboscada. Ela tentou se refugiar em um sítio, mas foi perseguida pelo executor que fez os disparos, mesmo dentro de casa e na frente do dono e da família dele.

O lutador teria emprestado R$ 10 mil para a vítima e outro homem, que foi preso com mais de 200 quilos de maconha na fronteira com o Paraguai. Por isso, a vítima passou a ser ameaçada pela dívida.

Na casa do lutador foram encontradas uma pistola calibre 380, a mesma usada no crime, e munições. Ele foi indiciado por homicídio quadruplamente qualificado por motivo torpe, mediante paga promessa de recompensa, através de traição/emboscada e com meio que dificultou a defesa da vítima. A prisão é temporária.

Da Redação ODC.
Fonte: Giro 19
Leia também: FGTS ganhará depósito extra referente a lucro; Total será de R$ 7,5 bilhões