Um estudo vai usar a vacina BCG, aplicada no combate à tuberculose, para tentar barrar o avanço do novo coronavirus no Brasil. O uso da vacina seria de forma preventiva.

A vacina já é aplicada no país desde 1976 de forma obrigatória. Os testes serão feitos com pessoas que estão trabalhando na linha de frente no combate à doença.

A proposta é saber se a vacina protege ou não contra o novo coronavirus, evitando assim que a doença evolua para suas formas mais graves. Além do Brasil, Estados Unidos, Holanda e Austrália vão participar do estudo.

Dois mil voluntários vão ser recrutados em Mato Grosso do Sul e 1000 serão captados no Rio de Janeiro. Todos serão acompanhados por um ano e quem já foi infectado não vai poder participar.

O estudo é feito pela Fiocruz em parceria com um instituto australiano e financiado pela Fundação Bill e Melinda Gates. Um estudo americano apontou que se o Brasil não aplicasse a BCG, as mortes pelo novo coronavirus poderiam ser 14 vezes maior.

Da Redação ODC.
Fonte: Correio Popular
Fonte: G1
Leia também: Especialistas criticam sinalização de obra do BRT onde motociclista morreu em Campinas