Familiares de jovem morto na Rua José Paulino fazem protesto

 Familiares de jovem morto na Rua José Paulino fazem protesto

Um ano após a morte de Andrew Silva Jaroczinski, de 19 anos, esfaqueado durante uma briga em um bar no centro de Campinas, parentes e amigos da vítima realizaram um ato em frente ao Palácio da Justiça para cobrar o andamento do caso.


Segundo a advogada da família, Alaina Benedita, o processo está parado há cerca de dois meses sob a justificativa da pandemia.

“Na última movimentação que nós tivemos, os réus foram citados e não foram encontrados porque eles mudaram de endereço. Vamos fazer o que tiver que fazer, pedir o que tiver que pedir, incessantemente, até conseguir pelo menos ter um retorno mais plausível para a família”.

Em agosto de 2020, a Justiça aceitou denúncia do Ministério Público contra dois homens pela morte do jovem.

Com isso, segundo decisão divulgada pelo juiz José Henrique Rodrigues Torres, eles passaram a ser considerados réus.

“Foi um ano de muita dor e um ano de decepção, porque eu vejo vários casos de assassinatos que aconteceram depois do meu filho e que já têm pessoas presas e já têm julgamento marcado. Como a pandemia afetou só o caso do meu filho. Meu coração, na verdade, ele bate apenas. Tenho mais dois filhos, mas acabou, porque meu filho foi assassinado injustamente. Meu filho é assassinado todos os dias por essa impunidade. Cadê a Justiça?”, questionou Aparecida de Fátima Silva Araújo, mãe do jovem

Leia também: Motorista embriagado atropela 2 e quase é espancado no Oziel

Outras notícias