Frentista que foi acusada de homofobia contra repórter é demitida de posto

 Frentista que foi acusada de homofobia contra repórter é demitida de posto

A frentista que foi acusada de homofobia contra um repórter de televisão da cidade de Araras, foi demitida do emprego nesta última terça-feira, dia 24/11.


A funcionária, que trabalhava em um posto de combustíveis onde o jornalista passou na segunda-feira, dia 23/11, fez comentários ofensivos contra o repórter Ramon Rossi, da Rede Opinião de Televisão.

“Eles me pediram desculpas e disseram que a atitude da agora ex-funcionária não condiz com os valores da empresa e, por isso, resolveram tirá-la do quadro de funcionários. Sei que ficar sem trabalho, ainda mais agora em meio à uma pandemia é complicado, mas todos nós devemos colocar a mão na consciência e saber que as nossas atitudes acarretam consequências”, disse o repórter.

Relembrando o caso, o jornalista disse anteontem: “Hoje, por volta das 10h30, algo que sempre pareceu distante de mim aconteceu comigo. A funcionária do posto no qual abasteço o carro da empresa fez comentários de cunho homofóbicos sobre mim. Primeiro, o cinegrafista que me acompanha diariamente foi até o local (hoje sozinho com seu carro particular) e foi questionado por ela se ele era gay. Respondido que não, ela então insistiu: “Ah, porque você sempre anda com marico e quando eu vou abastecer o carro de vocês, ele me olha encarando, ele tá com ciúmes, será?”.

“Vim a público relatar o que aconteceu comigo porque acredito que é assim, expondo pessoas intolerantes, que vamos contribuir para que mais ninguém se sinta no direito de ofender outra pessoa pelo que ela é ou por quem ela se relaciona”, finalizou Ramon.

Da Redação ODC.
Fonte: Repórter Beto Ribeiro
Leia também: Criança de seis anos de idade tem parte do nariz arrancado por bala de fuzil

Outras notícias