Governador Rodrigo Garcia anuncia abertura de 31 leitos pediátricos em Campinas e em Sumaré

 Governador Rodrigo Garcia anuncia abertura de 31 leitos pediátricos em Campinas e em Sumaré

Foto: PMC

O governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia, anunciou nesta quinta-feira, 26 de maio, a abertura de 31 leitos pediátricos, a partir de 1º de junho. O Hospital das Clínicas da Unicamp abrirá 16 unidades e o Hospital Estadual de Sumaré receberá mais 15. A medida atende ao pedido dos prefeitos da região de Campinas.

“O anúncio de hoje é fruto do esforço de todos os prefeitos da RMC, como também daqueles que atendem e querem melhorar o serviço da pediatria em Campinas. Nós fizemos duas reuniões com representantes do Estado, da Unicamp, da PUC e da Rede Mário Gatti e todo trabalho culminou com essa medida adotada pelo governo estadual”, disse o prefeito Dário Saadi.

Ainda segundo Saadi, as tratativas com o Estado devem continuar para que outros leitos sejam abertos nas cidades da região. “Emergencialmente, a abertura desses 31 leitos é de suma importância, porém vamos continuar discutindo com o Estado a ampliação desses equipamentos”, concluiu.


Inicialmente, os 31 leitos permanecerão em operação por quatro meses. Os 16 leitos do HC da Unicamp estão divididos em dez semi-intensivos e seis de UTI; no Hospital de Sumaré são cinco de UTI, cinco de enfermaria e cinco de urgência referenciada.

“A abertura dos 31 leitos é um esforço inicial, e que vai continuar. Nossa DRS7 está dialogando com os prefeitos e teremos novos anúncios nas próximas semanas”, explicou o governador.

Leitos no Mário Gatti

O Hospital Mário Gatti abriu, em 19 de maio, mais sete leitos de enfermaria pediátrica. Com isso, o SUS Municipal passou a contar com 66 estruturas dessa modalidade.

O custeio dos leitos é feito com recursos do orçamento da Rede Mário Gatti. Caso haja necessidade, a Secretaria Estadual de Saúde assumiu o compromisso de complementar os valores.

Mutirão das cirurgias

O governador Rodrigo Garcia também anunciou o Mutirão das Cirurgias para zerar a fila de mais de 538,1 mil procedimentos em todo o Estado. Para acabar com a demanda reprimida, haverá cirurgias extras na rede estadual, remuneração dobrada nos hospitais do SUS e a contratação de serviços na rede privada. Na região de Campinas, hoje, há 71,4 mil cirurgias represadas.

A estratégia com duração prevista para quatro meses contempla 54 tipos de cirurgias ofertadas no SUS em sete especialidades: aparelho circulatório, visão, digestiva e abdominais, osteomolecular e geniturinário, das glândulas endócrinas e em nefrologia.

“A pandemia nos deixa muitos desafios a serem enfrentados e um deles é a realização de cirurgias eletivas que não foram realizadas. Pretendemos, em cinco meses, zerar essa fila em todo o Estado, só com o fluxo de cirurgias eletivas ainda na Cross – Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde”, explicou o governador.

As informações são da Prefeitura de Campinas.
Leia também: Duas locomotivas restauradas farão passeio entre Campinas e Jaguariúna neste sábado, 28/05

Outras notícias