O Governo do Estado de São Paulo, através do diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, informou nesta última sexta-feira, dia 25/09, que deverá solicitar a autorização para a produção da vacina contra o novo coronavirus.

O pedido, a ser feito para a Anvisa, deve ser em caráter de uso emergencial e caso a eficácia da vacina demonstre em pelo menos 50% nas análises preliminares.

A eficácia de 50% nao é o objetivo final da vacina, mas sim um valor mínimo a ser atingido em uma análise que deverá ocorrer até novembro. Ela vai mostrar quantas pessoas tiveram coronavirus entre os que tomaram a vacina de testes e os que tomaram placebo.

A Anvisa deverá fazer a análise de toda a documentação a ser enviada antes de liberar a produção da Coronavac, vacina da chinesa Sinovac a ser produzida no Brasil pelo Butantan.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, uma vacina com pelo menos 50% de eficácia já seria suficiente para interromper uma pandemia, porém se for menos de 30%, talvez ela não seja tão eficaz.

Da Redação ODC.
Fonte: G1
Leia também: Adolescente morre eletrocutado enquanto jogava no celular conectado ao carregador