Greve dos Correios atrasa correspondências e encomendas se acumulam em Campinas

 Greve dos Correios atrasa correspondências e encomendas se acumulam em Campinas

A greve dos funcionários dos Correios prejudicou ainda mais a já precária estrutura de distribuição de cartas e encomendas da empresa. O fechamento da unidade de Indaiatuba praticamente paralisou todos os processos na região.

Mais de 1 milhão de encomendas estão paradas e sem qualquer previsão de entrega. Com prazos já estourados há muito tempo, encomendas enviadas pelo sistema PAC, o mais barato, não tem mais data para serem entregues.

Apesar desses problemas, muitas empresas continuam enviando suas mercadorias por meio dos Correios, mesmo com várias transportadoras disponíveis no mercado. A tarifa mais baixa é o que está pesando nesse momento, mesmo com a cobrança de frete do cliente.


As encomendas enviadas pelo Sedex, o serviço expresso dos Correios, estão com atrasos de cerca de duas semanas, e seguem represadas no centro de distribuição de Campinas. O que está sendo liberado de Indaiatuba a passos de tartaruga, não está sendo entregue por Campinas.

No momento, o caminho é negociar com o vendedor alguma forma de entrega que não seja pelos Correios ou então esperar para fazer a compra, pois em caso de urgência, é 100% de certeza que a encomenda não será entregue dentro do prazo, mesmo via Sedex.

Da Redação ODC.
Leia também: Tenente campineiro da Polícia Militar morre após receber tiro acidental em treinamento

Outras notícias