Grupo pede ajuda para sepultar artesão morto há 3 anos em Campinas

 Grupo pede ajuda para sepultar artesão morto há 3 anos em Campinas

Foto: Wagner Souza/AAN

Um artesão que morreu em outubro de 2017 pode ter os restos mortais descartados pela Setec se não forem encaminhados para um ossuário, localizado no Cemitério N. S. Conceição em Campinas.

Para isso, é necessário pagar uma série de taxas como de exumação, remoção e enterro dos restos mortais. O corpo de Paulinho Zago foi sepultado em uma cova pública e se não for reconhecido pela família depois de 3 anos, os ossos vão para um buraco comum.

O presidente da Associação dos Expositores do Centro de Convivência (Asecco), de Campinas, Marcelo Bonifácio, está buscando ajuda financeira para o pagamento das taxas até o dia 15/10.


Paulinho era um dos artesões mais antigos da Feira Hippie do Centro de Convivência e começou a trabalhar no local em 1973. Ele era de Mogi Mirim e vivia em pensões pela cidade.

Os interessados em ajudar na remoção dos restos mortaps para que o artesão não seja descartado como indigente pode entrar em contato pelo telefone (19) 99859-6931.

Da Redação ODC.
Fonte: Correio Popular.
Leia também: Homem tenta furtar peixe em 2 supermercados em Campinas e tenta no Mercadão, mas é espancado

Outras notícias