Há o que comemorar no Dia da Escola?

 Há o que comemorar no Dia da Escola?

O Dia da Escola é comemorado anualmente em 15 de março no Brasil.

A data celebra uma das instituições de maior importância na sociedade, sendo agentes protagonistas na vida das pessoas, pois sua influência se estende além da sala de aula.

A participação abrange não só a formação acadêmica, mas também a de um alicerce para a vida profissional, aliada a grande relevância no processo de socialização e concepção do cidadão.


Diretor pedagógico do Colégio Oficina do Estudante de Campinas, Antunes Rafael opina que o valor da escola dentro da sociedade remonta desde os tempos da Grécia Antiga.

E ao longo dos séculos, tem se ampliado.

Destaca que, entre as instituições ancestrais, talvez essa seja a que mais manteve seus padrões originais e propósito.

Ressalta que a época, alunado e demandas pedagógicas mudaram.

Assim sendo, as escolas se reinventaram, de modo a estarem sempre atualizadas as demandas do conhecimento.

E, agora, em meio à pandemia da Covid-19, mais do que nunca.

Entretanto, garante que o norteador para a propagação das informações para os alunos sempre foi o discurso do diálogo e desenvolvimento de senso crítico, com intuito de prover sempre um ensino de qualidade.

Rafael contextualiza que falar do valor da escola é uma tarefa árdua e ampla.

Os apontamentos a fazer são inúmeros. Pelo seu campo de atuação ser gigantesco, pede que a instituição seja valorizada, por ser um consolidado mecanismo de transformação social.

“Sua importância jamais deve ser questionada. Com o cenário de pandemia que estamos enfrentando, as escolas, mais do que nunca, tem uma importância gigantesca. Não só no que diz respeito a socialização dos alunos. Mas, também no cumprimento do seu papel enquanto formadora de opiniões, de estudantes que vão ingressar futuramente no mercado de trabalho. Obviamente, ela é a base para todas as profissões”, ponderou.

A responsabilidade da escola na pandemia

A responsabilidade da escola é garantir a continuidade dos estudos, ajudando os alunos a passar por esse momento, acompanhando-os da melhor forma possível.

“A relação com o aluno precisa ser alicerçada na confiança”, disse.

Pensa que o aluno deve compreender que, apesar do ensino estar sendo ofertado de forma remota, é imprescindível manter o comprometimento com os estudos. Assim, evitará prejuízos a sua vida acadêmica.

“Por isso, estar atento ao projeto pedagógico e às orientações da escola são fundamentais para que essa relação de confiança se fortaleça”, esclarece.

“A escola deve assimilar as novas necessidades dos alunos. O desenvolvimento de ações que promovam o acolhimento psicológico deles, pais e responsáveis, a implantação de ferramentas e estratégias didáticas e o acompanhamento pedagógico do desempenho acadêmico, são exemplos de como pode se dar esse apoio. Estando, ainda que distante fisicamente, próximo do aluno”, encerra.

Outras notícias