Hipertensão arterial: uma doença silenciosa

*Por Silvio Pollini, coordenador da cardiologia do Vera Cruz Hospital

A Hipertensão arterial sistêmica, popularmente conhecida como “pressão alta”, é uma doença muito prevalente nas populações adultas.

Na maioria dos casos, está relacionada a uma predisposição hereditária, ou seja, em pessoas que possuem um histórico familiar.


Ela também está relacionada a hábitos e estilo de vida prejudiciais, como: sedentarismo; obesidade; consumo excessivo e/ou elevado de álcool, sal e alimentos industrializados; e tabagismo.

Em muitas pessoas, a pressão alta não apresenta sintomas em seu início, o que a torna extremamente perigosa, pois deixa os portadores, que desconhecem possuí-la, em extrema vulnerabilidade para suas consequências.

Em outros casos, apresenta-se com sintomas, como: dor de cabeça, tonturas, falta de ar e mesmo alterações visuais. Portanto, o reconhecimento precoce é de suma importância e deve ser feito de maneira preventiva com consultas médicas regulares e com o conhecimento de antecedentes familiares, especialmente, pais e irmãos.

A maioria dos hipertensos tem histórico em familiares e isto deve servir de alerta para procurar um médico e aferir sua pressão de maneira regular.

Da mesma forma, avaliações laboratoriais dos níveis de açúcar e gorduras no sangue devem ser realizadas pela população adulta e mesmo pelos jovens, pois doenças como o diabetes e o colesterol elevado, quando associadas à hipertensão, são poderosos fatores de risco para doenças vasculares com alta taxa de mortalidade e sequelas físicas.

Um estilo de vida saudável, com dieta pobre em carboidratos (açúcares e farináceos), com a prática regular de exercícios, combatendo a obesidade, o consumo elevado de álcool e evitando o tabagismo, pode, em muitos casos, normalizar a pressão arterial.

Quando necessário, o uso de medicação específica, como anti-hipertensivos, é necessário para tal finalidade, e evita, de maneira drástica, o aparecimento das temíveis complicações vasculares, que podem levar à morte ou a sequelas e limitações físicas que impactam a qualidade de vida.

Portanto, é muito importante, no combate à hipertensão, o conhecimento prévio do histórico familiar e a adoção de hábitos de vida saudáveis aliados a avaliações médicas de rotina, mesmo nas pessoas assintomáticas, como forma de diminuir suas graves consequências futuras.

Como norma internacional, medidas de pressão igual ou acima de 140×90 são consideradas Hipertensão e pessoas com esses níveis pressóricos devem ser seguidas e aconselhadas para diminuí-la.

Outras notícias