História do Transporte em Campinas | A linha Castelo-Proença, desde a época dos bondes

     História do Transporte em Campinas | A linha Castelo-Proença, desde a época dos bondes

    Quando a linha era operada pela CCTC. Foto: Acervo Grupo ‘Campinas Antiga’.

    O transporte coletivo em Campinas tem muitas histórias e linhas que passaram ao longo do tempo, e algumas delas existem até hoje.

    Uma delas é a linha 360, que liga o bairro do Jardim Proença até o bairro do Castelo. Na verdade o ponto final é no bairro do Chapadão, pois o bairro “Castelo” não existe.

    A linha Castelo é oriunda ainda da época dos bondes, quando o ponto final era na Avenida Andrade Neves, justamente em frente ao reservatório do antigo DAE-Campinas, na rotatória.


    O reservatório é conhecido como Castelo, por isso o nome da linha. Os bairros que ficam ao redor são o Chapadão, Bonfim, entre outros.

    Depois do fim dos bondes, a linha com os ônibus operados pela CCTC faziam um itinerário um pouco diferente, passando por dentro dos bairros nas redondezas, como na Rua Emilio Henking e depois saindo na Avenida Alberto Sarmento, itinerário mantido até hoje.

    O ponto final no Chapadão já mudou várias vezes, mas hoje está na frente do Círculo Militar. Ainda na época da CCTC, a linha ganhou o prefixo 3.16.

    Quando a linha foi repassada para a Viação Campos Gerais em 1988, o prefixo mudou para 2.02, pois a linha saiu da área operacional 3 e foi para a área 2.

    Um ano depois, a linha foi assumida pela Viação Itacolomy e manteve o prefixo, mudando apenas em 1995 com a linha sendo repassada pra TUCA, e o prefixo passou para 3.42.

    Com a chegada do sistema InterCamp em 2005, a linha ganhou o prefixo 360, que permanece até hoje. O itinerário para o lado do Proença também praticamente é o mesmo, sem grandes alterações.

    Da Redação ODC.

    Outras notícias