Homem é absolvido em julgamento por ter cometido “estupro culposo”, ou seja, “sem intenção”

     Homem é absolvido em julgamento por ter cometido “estupro culposo”, ou seja, “sem intenção”

    Uma falha estarrecedora da Justiça brasileira veio à tona nesta última terça-feira, dia 03/11. Uma jovem que foi estuprada acabou vendo seu algoz absolvido por um juiz que arrumou uma desculpa completamente esdrúxula.

    O caso aconteceu em 2018, em Jurerê Internacional, na cidade de Florianópolis. Na ocasião, a jovem Mariana Ferrer, que trabalhava como promoter em um evento, tinha 21 anos de idade e foi estuprada por André Aranha.


    Em setembro deste ano a justiça local encerrou o caso e absolveu André pois a promotoria entregou o caso como “estupro culposo”, algo que não existe na legislação brasileira.

    O promotor do caso disse que o acusado não tinha como saber se a jovem estava em condições de consentir com a relação, e por isso não houve a “intenção” de estuprar.

    Imagens das audiências mostram o advogado de defesa de André humilhando a vítima em várias situações, questionando suas fotos e suas roupas usadas.

    Na época da sentença houve movimentação contra a decisão esdrúxula da justiça, mas agora com a divulgação das imagens, o caso ganhou projeção nacional e nas redes sociais subiu a #justicapormariferrer

    O Conselho Nacional de Justiça informou que vai abrir um processo disciplinar para investigar a conduta do juiz do caso, sobretudo por permitir tortura psicológica da vítima.

    Da Redação ODC.
    Fonte: Jornal Cidade
    Leia também: Policial que atirou contra carro de Uber em Campinas é afastado das ruas

    Outras notícias