Médico diz que enfermeiros precisam usar “xerecard” para sobreviver e insulta críticos

 Médico diz que enfermeiros precisam usar “xerecard” para sobreviver e insulta críticos

Um médico do Maranhão postou uma mensagem preconceituosa contra a classe de enfermeiros nas redes sociais. A mensagem foi postada nesta última segunda-feira, dia 26/10.

Kayke Paiva disse o seguinte: “Medicina (é) que dá dinheiro. O resto é resto (…). A enfermagem só existe porque a medicina existe”, afirmou. “Ou tu faz enfermagem, ou usa o ‘xerecard’, ou então tu faz medicina”, completou.

Uma página dedicada a enfermeiros publicou o vídeo com as mensagens preconceituosas e gerou revolta. Depois da reviravolta, o médico se justificou:


“Sou uma pessoa que brinca muito sobre a coisa de ser pobre. Eu já andei de ônibus, era pobre. Em nenhum momento desrespeitei a profissão da enfermagem. Acredito que, sem ela, não há saúde, pois um hospital não funciona sem os enfermeiros. Quando mencionei o termo ‘xerecard’, quis dizer que talvez vender o corpo seja uma boa ideia para ganhar dinheiro, já que a enfermagem está tão desvalorizada. Vejo o sofrimento de minha mãe, irmã e namorada ganhando pouco, trabalhando em condições precárias, sendo maltratadas pelos médicos em geral que são ignorantes na sua maioria. Peço perdão aos enfermeiros por qualquer fala equivocada da minha parte. Lembrando que muito do que falo nos meus stories do Instagram é apenas humor. Não busco humilhar ninguém, muito menos difamar profissão alguma, pois toda profissão tem seu espaço e merece o respeito devido”.

Depois de tudo isso, o médico publicou em suas redes sociais mensagens de críticas que recebeu e também as respostas que deu. Em uma delas o médico disse que a pessoa vai “morrer pobre e diabética”. Em outra, disse que vai “encher a cara de murro” da outra pessoa.

Kayke se formou em 2019 em universidade particular e disse que já passou por 10 hospitais públicos e que foi clínico geral por 10 meses, mas desistiu da medicina por ter se cansado dos plantões exaustivos.

Agora, o médico vive na cidade de Barra do Corda, no Maranhão, vendendo cursos sobre como ser trader no mercado financeiro. O Conselho Federal de Enfermagem disse que vai tomar providências a respeito do caso nas esferas cível e criminal. A Universidade Federal do Maranhão também emitiu nota de repúdio ao médico:

“A Universidade Federal do Maranhão, tendo em vista o caso de publicação, em rede social, pelo profissional médico Kayke Paiva, de ofensas à profissão de enfermagem, vem a público expressar o seu repúdio a tal conteúdo, ao mesmo tempo em que afirma o enorme valor dos profissionais de enfermagem para a estrutura de saúde. A formação em enfermagem é tão vital quanto qualquer outra da cadeia da saúde e, como tal, merece o devido respeito e reconhecimento”, diz a nota.

Da Redação ODC.
Fonte: UOL
Leia também: Dario dispara e tem empate técnico com Rafa na disputa pela prefeitura de Campinas

Outras notícias