Menina que fez iniciação no candomblé e teve guarda requerida pela avó, volta para a mãe

 Menina que fez iniciação no candomblé e teve guarda requerida pela avó, volta para a mãe

A mãe que perdeu a guarda da filha de 12 anos por ter submetido ela a um ritual de iniciação no candomblé, ganhou a guarda de volta na semana passada.

A menina ficou com a avó materna por 17 dias por conta de uma guarda provisória. Ela tinha denunciado a própria filha por maus tratos por não concordar com o ritual pelo qual a neta passou.

De acordo com informações, a avó é evangélica e não concorda com a orientação religiosa da filha, por isso alegou que a neta sofria maus tratos para poder pegar a guarda dela e afastá-la do candomblé.


O problema é que a menina não passou por maus tratos. Durante o ritual de iniciação, a menina teve os cabelos raspados, mas foi por livre e espontânea vontade dela. Isso foi considerado uma agressão para justificar a retirada da guarda.

Um boletim de ocorrência chegou a ser registrado na época porém os policiais não encontraram nada de anormal no terreiro, onde a menina estava tranquila e sem problemas.

Moradores de Araçatuba protestaram na frente do Conselho Tutelar da cidade por conta de intolerância religiosa, que foi o que acabou caracterizando o caso que ganhou repercussão nacional.

Da Redação ODC
Fonte: G1
Leia também: Motoboy humilhado em condomínio de Valinhos ganha emprego em agência de publicidade

Outras notícias