Menino com paralisia cerebral se forma, escreve livro e agora precisa de ajuda

 Menino com paralisia cerebral se forma, escreve livro e agora precisa de ajuda

A força de vontade e o desejo de lançar um livro motivaram um jovem de 28 anos de Santos a superar dificuldades impostas pela paralisia cerebral.

E a mãe, que acompanhava as aulas como “ajudante”, acabou se matriculando e se formou junto com o filho.

Quando Maria Izabel Silva, hoje com 63 anos, ficou grávida, a alegria era imensa. Mas, na hora do parto, uma série de dificuldades quase colocou tudo a perder.


Prematuro, o menino nasceu com falta de oxigênio no cérebro, e ficou internado em uma Unidade de Terapia Intensiva.

Aos sete meses, Rafael Luiz Silva dos Santos não sentava, como outras crianças, e também não começou a balbuciar as primeiras palavras.

“Fiquei desesperada. Perguntei o que tinha acontecido com meu filho. Só depois explicaram que ele estava sem oxigênio no cérebro. Foi uma dor imensa”, contou.

Rafael desenvolveu paralisia cerebral. Mas, ao contrário de outros casos, a falta de ar afetou apenas a coordenação motora do rapaz.

A inteligência e a cognição permaneceram intactas.

Após passar pela Associação de Apoio a Criança com Deficiência (AACD), onde conseguiu estudar as matérias equivalentes ao ensino fundamental, Rafael quis mais.

“Ele queria fazer o ensino médio e também faculdade. Me senti orgulhosa em saber que ele queria tudo isso”, diz a mãe.

Matriculado em uma escola da rede pública, Rafael terminou o ensino básico. E faltava a faculdade.

“Ele queria porque queria fazer faculdade. Então, o levei para uma prova na Universidade Paulista, em Santos. Ele fez a prova com apoio de uma moça, que disse que ele era muito inteligente”, conta a mãe.

Rafael disse que não tinha dúvida sobre o curso principal que queria fazer.

“Era letras, sempre foi. Mas eu não sabia o que colocar como segunda opção. Aí escolhi administração”, explicou.

Nem precisou de opção. Rafael passou no vestibular.

Mesmo durante a faculdade, Rafael aproveitava as madrugadas – coruja assumido – para botar a criatividade no computador: escrevendo poesias.

“A noite é bem melhor, não tem barulho da rua, é uma paz”, argumenta o jovem.

E três anos depois de formado, o sonho se tornou realidade.

 

Depois de seguir nas redes sociais a editora independente Costelas Felinas, de São Vicente e de muito insistir, o livro saiu.

“O Pulsar de Meus Devaneios e Outras Utopias”, teve uma tiragem discreta: cinco unidades, a R$ 25 reais mais a entrega.

“Eu fiquei feliz quando vi o livro na minha mão. É um sonho realizado”, disse o jovem, emocionado.

Ajuda para comprar um notebook

Hoje, Rafael atua como revisor de textos autônomos e escritor de blogs.

Pretende escrever, publicar outras obras e ser tradutor de textos. Só que, para isso, ele precisa de um notebook com configurações atualizadas e mais potente e também de um guincho hidráulico dobrável, necessário para sair da cadeira de rodas e poder chegar ao computador.

Você pode ajudá-lo!

Uma vaquinha online foi criada para Rafael. Clique aqui para poder acessá-la.

Outras notícias