Uma mulher grávida de 24 anos de idade acabou sendo morta por outra e teve o filho arrancado de dentro da barriga na cidade de Canelinha, em Santa Catarina.

A vítima foi morta a tijoladas e teve o filho retirado depois que a barriga dela foi cortada com estilete. O crime foi cometido por uma amiga da vítima, de 26 anos.

“Ela [suspeita] disse engravidou no ano passado e perdeu esse bebê em janeiro, mas não comunicou aos familiares, inclusive nem teria falado para o marido, que estaria muito empolgado com a gravidez dela. Ela manteve a alegação da gravidez e neste período começou a cogitar o homicídio da vítima em razão da coincidências de prazos da gestação. Ontem [quinta] ela disse pra vítima que iria fazer um chá de bebê e convidou a vítima para participar”, explicou o delegado do caso.

Apesar disso, a amiga chamou a vítima para uma cerâmica desativada, pois ali seria um ponto de encontro de outros convidados, mas acabou atingindo a vítima com tijoladas.

“Depois, com um estilete fez o corte na barriga para tirar o bebê do ventre da mãe. A ideia dela era matar a mulher e ficar com a criança”, disse o delegado, que concluiu: “Ela [suspeita] é extremamente fria, em momento algum ela demonstrou algum tipo de arrependimento ou algum tipo de culpa em relação a toda a situação”.

“Foi constatado o fato que ela [recém-nascida] tinha cortes profundos provocados por um objeto cortante. Diante da informação, não havendo outros indícios do cometimento de um homicídio, apenas a lesão corporal, lavrou um boletim de ocorrência e seguiu as atividades normais”, afirmou a Polícia Militar, que completou: “Voltamos ao hospital e fazendo todo o contato e uma nova entrevista com a suposta parturiente, a qual confessou que tinha cometido o homicídio para subtrair a criança da vítima […] se trata de um crime premeditado para a subtração de um bebê”.

Câmeras de segurança das imediações terão seus vídeos retirados e analisados durante a investigação, até para saber se mais alguém participou do crime.

Da Redação ODC.
Fonte: G1
Leia também: Governo do Estado cancela campanha de vacinação contra raiva; Campinas tem agendamento