PF prende homem com mais de 77 mil arquivos de abuso e exploração sexual infantil

 PF prende homem com mais de 77 mil arquivos de abuso e exploração sexual infantil

A Polícia Federal (PF) de Campinas prendeu na manhã desta terça-feira (16) um técnico de informática, de 38 anos, suspeito de manter ao menos 77 mil arquivos com cenas de abuso sexual contra crianças e até bebês, em seus dispositivos digitais.

O homem mora sozinho, em uma edícula no fundo do quintal da casa da mãe, no bairro Solar Campinas, na região do São Domingos.

Todo o material e os e os aparelhos foram apreendidos.


Os agentes federais chegaram até o técnico após serem alertados pela coordenadoria central da PF em Brasília, a qual recebeu informações do NCMEC, organização não-governamental dos Estados Unidos, de que havia em Campinas uma pessoa que estava com um arquivo novo que poderia estar produzindo.

“Com base nas informações, instauramos inquérito e levantamos o endereço do suspeito. Como havia informação de que havia imagem com um bebê que poderia estar sendo abusado em Campinas, tivemos o cuidado com este caso”, disse a delegada Estela Beraquet Costa.

As investigações tiveram início em fevereiro deste ano.

De acordo com Estela, o homem usava um nome falso para se ocultar para obter e compartilhar as imagens, inclusive com internautas de outros países.

A suspeita é que ele tenha conseguido os vídeos e fotos através da Deep Web, a chamada internet profunda – é uma área da Internet que fica “escondida” e tem pouca regulamentação.

Ela não pode ser acessada por meio de pesquisas em buscadores, como o Google ou Bing e também não é acessada digitando um endereço em um navegador comum.

“Não encontramos material ou crianças próximas a ele. Então isso nos alivia um pouco. Mas o material será analisado para ver se ele produzia. Ele confessou que apenas consumia e não vendia o material”, comentou a delegada.

O homem foi preso em flagrante por posse e disponibilização de arquivos com conteúdo de pornografia infantil, mas poderá responder por outros três crimes, caso fique confirmado nas investigações.

A princípio, responderá como incurso nas penas previstas no artigo 241-B do ECA, com reclusão de 1 a 4 anos.

Ele foi preso com base em mandado de busca e apreensão expedido pela 9ª Vara Federal. Foram apreendidos pen drives, celular, HD, tablet e notebook, que serão encaminhamentos para a realização de exames periciais.

Se constatar se o preso também praticava outros crimes, como a produção dos referidos arquivos, crime previsto no 241-D do ECA – Estatuto da Criança e Adolescente – bem como de estupro de vulnerável, previsto no artigo 217-A do Código Penal, a pena pode ultrapassar 20 anos de prisão.

Outras notícias