Polícia Civil vai analisar mensagens enviadas em grupo da escola Aníbal de Freitas

 Polícia Civil vai analisar mensagens enviadas em grupo da escola Aníbal de Freitas

A Polícia Civil de Campinas anunciou que vai fazer a análise de todas as mensagens registradas em um grupo formado por profissionais da escola Aníbal de Freitas.

No caso, os profissionais e pais de alunos recriminaram um aluno de 11 anos que havia sugerido a temática LGBT para fazer um trabalho. Todos pediram a expulsão do menino do grupo, o que foi atendido de pronto.

Para piorar, uma mulher que se identificou como coordenadora da escola ainda teria entrado em contato com os pais da criança para recriminá-la depois da conversa pelo aplicativo de mensagens.


O agravante de tudo é que todo esse preconceito aconteceu justamente no mês do Orgulho LGBT, onde várias empresas e setores da sociedade celebram a diversidade.

Nesta última segunda-feira, dia 14/06, funcionários da Diretoria Regional de Educação de Campinas Leste estiveram na escola para apurar o caso e tomar as medidas cabíveis.

Até o presente momento ninguém da direção da escola entrou em contato com o aluno para tentar esclarecer o que aconteceu ou saber como ele está. Ele precisou passar por um psicólogo na segunda-feira, dia 14/06.

Da Redação ODC.
Fonte: G1
Leia também: Teste genético: como funciona e quais seus benefícios

Outras notícias