Polícia identifica e prende quadrilha especialista em roubos com sequestros na Mackenzie

 Polícia identifica e prende quadrilha especialista em roubos com sequestros na Mackenzie

Agentes do 12º Distrito Policial (DP), de Campinas, já identificaram ao menos 10 suspeitos de integrarem uma quadrilha especialista em roubos seguidos de sequestro-relâmpagos na alça de acesso da Avenida Mackenzie, na região de Sousas.

Outros quatro suspeitos, dentre os quais duas mulheres, estão sob investigação.

Do total, sete estão presos e três foragidos.


As investigações sobre os ataques começaram em março deste ano após uma médica de 45 anos ser rendida por três bandidos armados, quando voltava para a casa dela.

Os criminosos tinham como tática atacar, mulheres sozinhas, mas em alguns casos também renderam casais.

Os assaltos aconteciam sempre entre 18h e 23h da noite.

Eles se utilizavam de diversos carros para os ataques, para dificultar as investigações.

O grupo andava sempre em quatro integrantes.

Um deles ficava na direção do carro usado por eles e outros três ficavam com a vítima.

Para abordar, eles fechavam o carro da vítima e chegavam a fazer disparos para o alto ou contra outros veículos para colocar terror.

Após render as vítimas, os criminosos passavam a circular com o alvo pela cidade e exigiam documentos, pertences pessoais e cartões bancários.

Os bandidos andavam com uma maquininha de crédito para fazer a transferência de valores.

Somente a médica teve cerca de R$ 20,5 mil roubados.

Durante as investigações, os policiais identificaram ao menos outros oito boletins de ocorrência de roubos com os mesmos moldes operandi.

Em três deles, eram casais.

Nos demais, todas mulheres sozinhas.

As vítimas eram sempre abandonadas com seus veículos na região do bairro São Domingos, mesma região em que moram os integrantes.

O delegado José Roberto Rocha acredita que o número de vítimas seja mais, já que muitas delas deixaram de fazer queixa na polícia devido ao trauma e as ameaças.

Dos setes presos, dois deles tiveram a prisão temporária prorrogada para mais 30 dias.

Um terceiro também teve a prisão estendida na semana passada. Os demais estão presos preventivamente.

Outro caso

A quadrilha passou a ser investigada após a médica D.L.R usar as redes sociais para desabafar e alertar mulheres sobre os momentos de terror que ela viveu nas mãos dos criminosos.

Ela foi alvo dos bandidos na noite do dia 16 de março, quando passava pela alça de acesso da Avenida Mackenzie.

A vítima teve o carro fechado por um Gol branco, ocupado por quatro ladrões.

Um deles ficou na direção do carro em que estavam e os outros três desceram, sendo que um chegou a atirar para o alto para amedrontar a mulher.

Os criminosos entraram no carro da médica e a obrigaram passar pelo banco traseiro e entregar documentos e cartões bancários.

Em seguida, a obrigou a entregar suas senhas e roubaram mais de R$ 20,5 mil da vítima.

Eles a abandonaram com o carro dela, na Estrada do Birizeiro, na região do Loteamento Parque Centenário.

Outras notícias