Policiais da Deic Campinas desmantelam nova fábrica clandestina de uísque falso

 Policiais da Deic Campinas desmantelam nova fábrica clandestina de uísque falso

Policiais da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) de Campinas, desmantelaram na tarde desta terça-feira (01), mais uma fábrica clandestina de uísque falsificado.

Um homem de 31 anos, que se apresentou como responsável da fábrica, foi preso em flagrante pelo crime de falsidade de produto alimentício.

No local, os policiais civis localizaram dois galões, em um total de 55 litros de álcool, diversas garrafas já envasadas, prontas para serem comercializadas, além de apetrechos usados no envasamento do uísque.


Esta é a segunda fábrica clandestina localizada em Campinas por policiais da 1ª Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e a terceira na região – uma em Paulínia – em menos de um mês.

A localização desta unidade clandestina se deu com a prisão de três homens, no dia 13 do mês passado, no Jardim Satélite Iris, também em uma fábrica, que, conforme as investigações, apontaram que era do homem detido nesta terça-feira.

Esta nova fábrica funcionava na casa do suspeito, identificado pelas iniciais F.M.S, na região do Jardim São Judas.

De acordo com os policiais civis, o envasamento era feito em um local precário e sem higiene.

A mistura era feita dentro de um tanque de lavar roupas e em seguida a bebida falsificada era envasada, usando-se canecas e um funil para injetar o produto em garrafas reutilizadas, que por fim eram lacradas e vendidas.

Segundo os policiais, essas fábricas clandestinas falsificam uísques de marcas famosas como Jack Daniel’s, White Horse, Johnnie Walker entre outros que são comercializados em redes sociais, adegas, mercados, bares, festas e boates de Campinas e região a preço abaixo do mercado.

F.M.S. foi autuado por crime de falsidade de produto alimentício, cuja pena é de quatro a oito anos de reclusão.

suspeito já possui passagem por Roubo e foi encaminhado para a cadeia anexa ao 2º Distrito Policial (DP), no bairro São Bernardo, onde ficará à disposição da Justiça.

COMEÇO DA INVESTIGAÇÃO

As investigações tiveram início no final de abril por policiais da DIG, em combate a fraudes de marcas e patentes.

O primeiro flagrante da equipe aconteceu no dia 5 do mês passado, quando um homem de 30 anos foi preso em Indaiatuba por vendas de bebida falsificada pela internet.

Na época, foram apreendidas 24 garrafas de uísque falsificado na casa dele.

A partir de então, os agentes conseguiram identificar a primeira fábrica clandestina, com apreensão de aproximadamente 350 garrafas de bebidas falsas, diversas garrafas ainda vazias além de galões com o liquido falsificado.

Três homens foram presos.

A fábrica funcionava no Jardim Satélite Íris.

Um dia depois, policiais civis de Paulínia conseguiram apreender aproximadamente 700 garrafas falsificadas.

A ação foi com base em mandado de busca, apreensão e prisão, mas o suspeito não foi localizado.

SELOS FALSOS

No dia 20 de maio, os policiais da 1ª DIG conseguiram identificar uma espécie de gráfica de fundo de quintal, na Vila Padre Anchieta, que confeccionava a impressão de rótulos da marca Jack Daniel´s.

Na época, foram apreendidas dezenas de silkscreen da marca para ser impresso nos adesivos da garrafa.

Um homem foi detido, prestou depoimentos e liberado. A polícia acredita que o local funcionava como fornecedor dos selos e adesivos falsificados.

Outras notícias