Quase 1/3 dos alunos de escolas públicas e particulares sofreram bullying ao longo de 2019

 Quase 1/3 dos alunos de escolas públicas e particulares sofreram bullying ao longo de 2019

Uma pesquisa feita pela Universidade de São Paulo constatou que quase 1/3 dos estudantes de escolas públicas e privadas da capital paulista sofreram algum tipo de bullying em 2019. Desses, 23% sofreram violência.

O número de adolescentes entrevistados foi de 2702 em 119 escolas e desses, 29% afirmaram terem sofrido bullying. Já 15% disseram que cometeram bullying e 19% cometeram algum tipo de violência contra os colegas.

O maior número de agressões acontece por conta de alunos que não possuem orientação heterossexual ou que possuem algum tipo de deficiência. Por conta disso, acabam ficando em uma posição vulnerável, seja por características físicas, classe social, cor da pele ou orientação sexual, e por isso são as maiores vítimas.


A pesquisa ainda concluiu que o bullying não é raro e pode ser sim, evitado e devidamente identificado, porém a escola deve ter interesse nisso. Também foi diferenciado o bullying da violência. Foram consideradas violência as agressões físicas, assaltos e brigas.

Um dos fatores que teria aumentado o número de pessoas que praticam bullying é a piora na saúde dos adolescentes, com uso de drogas e álcool além de terem sofrido ou aplicado violência severa recentemente. Depressão e ansiedade também são motivos.

59% dos entrevistados disseram já ter feito uso de droga depressora e 28% bebem compulsivamente. Além do trabalho da escola, os pais também podem colaborar para a redução dos números, fazendo-se mais presentes na vida dos filhos.

Da Redação ODC.

Outras notícias