Campinas 249 anos – Transporte e trânsito cada vez menos técnico e mais político

·

·

·

Tags:

O transporte coletivo de Campinas vive um de seus piores momentos. Frota velha, quebras constantes, uma montanha de multas e subsídio cada vez mais crescente.

Para piorar, a Emdec foi do 10 ao 0 em pouco tempo. Para quem se mostrava estar na balança do técnico para o político-populista, agora está apenas de um lado.

A reativação de linhas de demanda pífia, mudanças constantes de itinerários e falta de exigências mostra que a Emdec está apenas do lado político da balança.

Quando houve a troca de prefeito, a chegada de Ayrton Camargo e Silva à presidência da Emdec mostrou-se uma decisão completamente assertiva, depois de uma desastrosa administração do engenheiro elétrico Carlos José Barreiro.

Ayrton, totalmente técnico, teve muitos nós a desatar, tudo deixado pelo seu péssimo antecessor. Parecia que a coisa ia andar, quando ele optou por sair e foi substituído por Vinicius Riverete.

Vinicius estava na Secretaria de Transportes e também foi substituído, desta vez por Fernando de Caires, um ótimo estudioso do transporte e bastante técnico.

Mas os holofotes ficaram com Vinicius, que até videozinho sobre seu uso de meia ou não foi parar nas redes sociais. Enquanto isso, a população entupida em ônibus velhos e caindo aos pedaços.

A Emdec foi para as portas das garagens de ônibus, acompanhou as saídas e exigiu reformas e renovações, mas parecia apenas um fogo de palha.

Hoje, Campinas está com a frota de ônibus mais velha da história e não há nenhum indício de que virá coisa nova. A desculpa: a licitação do transporte que não consegue andar por causa dos questionamentos da Justiça e dos concorrentes.

Isso mostra que se a licitação sair do papel só em 2033, os ônibus de 2007 vão continuar rodando até lá?

No começo o ODC até comprou essa ideia da falta de condições de renovação de frota sem a licitação sair, mas Piracicaba também está travada com a licitação e mesmo assim está recebendo 80 ônibus zero quilômetro.

Para piorar, movimentos que se dizem populares e que estão vendo uma vaguinha na Câmara no ano que vem estão se organizando e pedindo as maiores aberrações à Emdec, e estão sendo atendidos.

Lamentável.

Leia também: Campinas inaugura nova unidade do Ceprocamp, agora no Campo Belo