Crianças menores de 5 anos que acertarem carteira de vacinação em Campinas ganharão ingressos para o Circo do Chaves

·

·

·

Tags:

A Secretaria Municipal de Saúde de Campinas começa nesta segunda-feira, 21 de novembro, a distribuição de pares de ingressos para o Circo do Chaves a todas as crianças menores de 5 anos que forem levadas às unidades de saúde para receber doses de vacinas atrasadas e, dessa forma, atualizar as carteiras de vacinação.

A medida é uma parceria da Secretaria de Cultura com o circo, que disponibilizou 2 mil pares de convites para a ação, e faz parte de uma estratégia de mobilização para conscientizar a população sobre a importância da vacinação. Convites são válidos até o dia 4 de dezembro, quando será realizada a última apresentação do circo na cidade.

“É uma parceria envolvendo Cultura e Saúde com o objetivo de conscientizar os pais sobre a importância da vacinação. Assim, promovemos a saúde e proporcionamos uma atração de alta qualidade. Nosso objetivo é incentivar os pais a vacinarem seus filhos. Esperamos que a meta seja alcançada”, diz Newton Pacheco, diretor de marketing do Circo Mágico do Chaves.

A coordenadora do Programa de Imunização de Campinas, Chaúla Vizelli, afirma que a parceria é muito importante. “É mais um estímulo para os pais levarem as crianças às unidades de saúde. Manter a carteira atualizada é uma forma de evitar a reintrodução de doenças”, comenta.

Além dos convites, a Prefeitura lançou a campanha “Não Paralise os Sonhos de uma Criança” e uma série de eventos estão sendo realizados pela Saúde para sensibilizar as pessoas em relação à importância das vacinas, principalmente da poliomielite.

Doses em atraso

Para conferir se há vacinas em atraso, as pessoas precisam procurar um dos 66 centros de saúde da cidade e levar a carteira de vacinação e um documento de quem vai receber a dose.

Quem não tiver a carteira de vacinação, deve procurar o centro de saúde de referência na região onde mora para checar as imunizações.

As informações são da Prefeitura de Campinas.
Leia também:
Obesidade é mais comum em mulheres, segundo pesquisa