De Olho no BRT | O Corredor Perimetral realmente é necessário e vai funcionar?

 De Olho no BRT | O Corredor Perimetral realmente é necessário e vai funcionar?

Desde antes do início das obras, o ODC está de olho no BRT de Campinas. Muitas cobranças já foram feitas e hoje é feito o acompanhamento do que ainda resta.


O projeto executivo da obra segue guardado com a Emdec, que não o divulgou por algum motivo não revelado, então coube apenas acompanhar o que deverá sair por meio do projeto inicial, que foi liberado ainda antes das obras começarem a serem executadas.

Trecho sem asfalto novo no Cidade Jardim. Foto: ODC

Muita coisa já mudou do projeto inicial para o executivo, e por isso o ODC segue fazendo o acompanhamento. O corredor Perimetral é um dos trechos que também está sendo observado, sobretudo por ainda não estar com sua obra totalmente concluída, apesar de faltar muito pouco.

O corredor Perimetral faz a ligação do Corredor Ouro Verde com o Corredor Campo Grande por meio do traçado do antigo sistema VLT, que já era o trajeto da antiga Estrada de Ferro Sorocabana. Curiosamente, as estações do BRT foram instaladas praticamente nos mesmos locais onde já haviam as estações do VLT.

Atual fim do corredor é bizarro: sai para a Rua Bragança Paulista. Foto: ODC

A demanda por transporte nessa região é pequena para um sistema de média e alta capacidade, e por isso o VLT não foi para frente. O que o BRT deverá fazer para atrair passageiros para as estações dos bairros das imediações?

No corredor Perimetral há cinco estações de parada: Aurocan (antiga estação Vila Teixeira do VLT), Parque Industrial (mesmo nome na época do VLT), Cidade Jardim (antiga estação Anhanguera do VLT), Vila Pompéia (mesmo nome) e Campos Elíseos (mesmo nome no VLT).

O VLT ainda ia ter uma Estação Curtume, que nunca chegou a ser feita. A questão é: será que a prefeitura fez algum estudo técnico de demanda para manter as estações no mesmo local onde eram as do antigo sistema fracassado?

Um dos pontos positivos foi a reabertura da passagem pela Rodovia Anhanguera, restabelecendo a ligação do Jardim Miranda com a Cidade Jardim. Foto: ODC

Para atrair passageiros, a prefeitura deverá represar várias linhas ao redor dessas estações. Um exemplo é a linha 242, que já faz ponto final perto da Estação Parque Industrial. Se os moradores das imediações preferirem ir de BRT para o Centro, o que é obviamente mais rápido, será uma boa para todos.

As imediações do corredor Perimetral foram reconfiguradas e ganharam novos semáforos e asfalto, exceto na Estação Cidade Jardim, onde não há asfalto novo no sentido Campos Elíseos. Ali havia uma ocupação, e desde então o asfalto é o mesmo: todo esfarelado. Será refeito?

Trecho com péssimo asfalto na Estação Cidade Jardim, que ainda não tem acesso Foto: ODC

O ODC continua de olho e está acompanhando tudo o que envolve o BRT campineiro. É talvez uma das últimas oportunidades da cidade ter um transporte com um mínimo de qualidade, e não se pode perder.

Da Redação ODC.
Leia também: Homem furta ambulância da Rodovias do Tietê na SP-101 e foge pra Campinas

Outras notícias