Há uma nova doença em circulação, e que pode demorar anos para passar; DESCUBRA

vote badges on person s hand

Uma nova doença começou a assolar Campinas e pode causar efeitos a longo prazo na cidade. É algo que pode afetar a vida de todos nós, direta ou indiretamente.

Esse mal acontece a cada quatro anos e se chama eleições.

Pode reparar. Toda véspera de eleições municipais a cidade se torna um inferno. Surge gente de bueiros, ralos, farmácias, mercados, serralherias… Pipoca gente que se acha importante nos bairros onde mora e que começa a fazer pré-campanhas para vereador.

Aliás, já vimos até gente nas redes sociais pagando impulsionamento de publicações para falar que Campinas precisa de mais! Tudo bem. Campinas realmente precisa de mais força de vontade, não de gente para mamar nas tetas do governo e do serviço público. Fora que o impulsionamento de postagens com cunho político sem seguir várias regras (como o CNPJ da candidatura, nome completo da pessoa e fonte de investimento) é ilegal.

Também começaram a aparecer aqueles que querem fazer e acontecer. “Ah, vou pedir mudança de linha de ônibus”, ou “ah, eu consegui que a linha tal fizesse mais um zigue-zague só para mostrar minha força”. Pior é a Emdec cair nesse conto do vigário, mas isso é motivo para outro texto.

O fato é que já começaram a aparecer algumas figuras — umas mais carimbadas que as outras — que claramente querem disputar as eleições do ano que vem. São pessoas que querem o salário de marajá da Câmara de Vereadores, que vai pagar uma bagatela de R$ 17.800, mais alguns benefícios.

É óbvio que somos movidos pelo dinheiro, precisamos disso para sobreviver. Mas, o custo de uma Câmara do tamanho de Campinas é claramente desproporcional ao quanto de coisas positivas ela faz para a cidade. Na verdade, em alguns momentos, parece mais atrapalhar.

Vocês não vão falar de candidatos a prefeito?

Claro que vamos. Mas, antes, um pouco da teoria do que sempre acontece.

Chega o ano anterior e começam a aparecer os mesmos de sempre querendo dizer que “fazem por Campinas”, mostrando ações que tomaram em gestões anteriores ou em outros cargos fora da cadeira máxima do Executivo. Figuras políticas que ficam em hibernação por quatro anos reaparecem discretamente, se fazem mostrar que estão supostamente ali. E sempre tem um aventureiro que tenta se meter nesse vespeiro.

Quem está no poder vive dois cenários. Se tenta a reeleição, começa a inaugurar obras e prometer mundos e fundos. Faz trocas no secretariado, para se inclinar às posições partidárias (próprias ou dos que compõem a chapa de governo) e começa a dar a cara à tapa em questões polêmicas.

Se está no segundo mandato, começa a empurrar o ‘sucessor’ nos eventos, faz com que ele tome protagonismo político, se torne o centro das decisões e, de repente, a melhor pessoa possível. Enquanto isso, o mandatário passa a buscar as esferas superiores, se ainda tem alguma intenção de continuar na política.

Não sei se você percebeu, mas alguns destes cenários estão acontecendo agora em Campinas. Resta você abrir o olho e se prevenir dessa doença. E você pode fazer isso.

Conteúdo relacionado

Busque

Linhas de Campinas

Linhas de Paulínia

Linhas de Hortolândia

Linhas de Sumaré