Menino no barril: pai, madrasta e meia-irmã continuam presos

 Menino no barril: pai, madrasta e meia-irmã continuam presos

O pai, a madrasta e a meia-irmã do menino de 11 anos que foi encontrado dentro de um barril em Campinas seguem presos.

Apesar das muitas notícias que circularam nos últimos dias, o trio não foi solto.

Pelo contrário. A prisão em flagrante, que venceria na madrugada de hoje, foi transformada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo em prisão preventiva.


Ou seja, os três seguem presos até nova definição da Justiça.

A prisão em flagrante foi decretada no começo da madrugada de domingo, quando a ocorrência foi finalizada na 2ª Delegacia de Defesa da Mulher de Campinas, que atua 24 horas.

Desde esta segunda-feira, o caso é investigado pela 1ª DDM de Campinas, que fica próxima ao Jardim Itatiaia.

A apuração da Polícia Civil descobriu até agora que o menino estava no barril há pelo menos um mês.

Ele já havia relatado, segundo uma seguidora do ODC que acompanhou a chegada dele ao Hospital Ouro Verde, que o garoto acompanhou o revéillon do buraco da parede onde ficava.

O menino ficava de pé, 24 horas por dia, em um tambor de ferro, amarrado pelos pés e braços, comendo apenas cascas de bananas e fubá cru.

O garoto segue internado ganhando peso.

Segundo a equipe médica, ele chegou pesando 27kg, quando deveria pesar 35kg pela idade.

Outras notícias