Prefeitura de Campinas anuncia várias medidas de combate aos problemas relacionados às fortes chuvas

·

·

·

Tags:

O prefeito de Campinas, Dário Saadi, anunciou nesta quarta-feira, 18 de janeiro, medidas preventivas e de combate aos problemas relacionados às fortes chuvas que atingiram Campinas entre a tarde e a noite de ontem, 17. As ações foram divulgadas após reunião do prefeito com todo o secretariado, além do Corpo de Bombeiros e da companhia de energia CPFL. Entre as medidas, estão o aditamento de 20% no contrato de tapa-buraco e 25% no de poda de árvores e, emergencialmente, reforço nas equipes que realizam reparos.

Em uma hora, no fim da tarde de ontem, choveu 77 mm, o equivalente a 25% do total das chuvas da série histórica para o mês de janeiro, que é de 277 mm. Apenas na região Leste e parte da Norte, foram 92 mm de chuva em Campinas. “Com a concentração de chuva forte e intensa em uma região pequena, o solo ficou em grau máximo de saturação, totalmente encharcado, levando ao alto número de quedas de árvores – mais de cem entre ontem e hoje. Todas estavam saudáveis, segundo uma análise inicial de técnicos da Prefeitura”, afirmou o prefeito Dário Saadi. O número de quedas de árvores perde somente para a microexplosão, fenômeno registrado em 2016. Na época, foram 1.800 árvores caídas.

Além das equipes que já atuam no rescaldo das chuvas – todas as equipes da Secretaria de Serviços Públicos estão na rua para reparar as vias e retirar árvores caídas – as autarquias Emdec, Setec e Sanasa também colocaram efetivo à disposição para auxiliar nos serviços. A CPFL também se comprometeu a ampliar em cinco vezes o número de profissionais que atuam na poda de árvores – de 30 para 150 homens. O Corpo de Bombeiros também ampliou atuação na poda e retirada de árvores, principalmente nos locais em que as vias estão comprometidas.

De acordo com o prefeito Dário Saadi, “essas são as ações mais consistentes para enfrentar os estragos da chuva neste momento”. Ele lembrou que, além do aditamento de contratos para conserto das vias e poda de árvores, o investimento de R$ 70 milhões em recapeamento vai cobrir também ruas que sofreram estragos causados pela tempestade e o plano antienchente que está em andamento. A Secretaria de Infraestrutura já concluiu o Plano de Macrodrenagem e prepara o projeto básico para a licitação e contratação do projeto executivo e respectivas obras. O objetivo é licitar, ao mesmo tempo, o projeto executivo e as obras.

Estado de Atenção

Na manhã de hoje, o prefeito também esteve em vários locais em que houve estragos causados pela chuva para a avaliação dos danos. O município está em Estado de Atenção e, conforme boletim meteorológico, deve permanecer assim pelos próximos cinco dias.

Além da queda de mais de cem árvores (e galhos), houve 15 alagamentos de imóveis, duas erosões em via, cinco quedas de muro e quatro deslizamentos em decorrência do temporal de ontem à noite. A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) também registrou 26 pontos de alagamento em vias da cidade no período da tempestade, em trechos de vias como das Avenidas Anchieta, Orosimbo Maia, Princesa D’Oeste, Norte-Sul, John Boyd Dunlop, além dae Estrada da Rhodia.

Entre as unidades de serviços públicos municipais afetados pela chuva, estão oito da Educação, quatro da Saúde, 14 da Assistência e 14 de Esportes. Mas o atendimento da população na Educação, Saúde e Assistência não foi afetado. Na área de Esportes, o Centro de Treinamento de Lutas e o Museu da Cidade, ambos no parque da Lagoa do Taquaral, permanecem fechados no dia de hoje para limpeza.

Não há registro de desabrigados, desalojados ou de pessoas feridas em Campinas neste momento.

As informações são da Prefeitura de Campinas.
Leia também:
Painéis digitais exibem previsão de chegada dos ônibus