Prefeitura vai reformar (de novo) o Viaduto Cury e fará desvios

·

·

·

Tags:

A Prefeitura de Campinas inicia nesta terça-feira, 21 de março, as obras de recuperação das juntas de dilatação do Viaduto Miguel Vicente Cury em toda sua extensão (389 metros de juntas). O investimento ultrapassa R$ 1,3 milhões, com recursos municipais. As interdições no trânsito serão coordenadas pela Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec).

De acordo com o secretário de Infraestrutura, Carlos José Barreiro, o Viaduto Cury tem recebido uma série de melhorias e esta obra, aliada à reforma concluída em 2022, vai transformar totalmente o viaduto garantindo segurança e mobilidade para o trânsito de veículos. “Também será feita reforma no acabamento. A benfeitoria vai beneficiar ainda o público que trabalha e transita no entorno e contribuirá para a revitalização da área”, disse.

A obra será executada pela Impermear Serviços de Engenharia Ltda, especialista neste tipo de serviço. A previsão para conclusão é de seis meses.

Junta de dilatação também conhecida como junta de movimento é um dispositivo para mitigar os efeitos da vibração e da movimentação entre estruturas de concreto para garantir a integridade e a durabilidade de pontes e viadutos.

Operação de trânsito

A obra exigirá interdição parcial no trânsito do viaduto que será coordenada pela Emdec. As interdições no viário serão das 8h30 até as 16h, de segunda a sexta-feira.

Será fechada uma faixa de rolamento por vez. A interdição começa pelo sentido bairro – Centro. Agentes da Mobilidade Urbana irão monitorar e orientar o trânsito no local.

A Emdec indica que os motoristas redobrem a atenção ao transitar pelo local e, caso possível, adotem rotas alternativas. O Viaduto Miguel Vicente Cury tem uma circulação média de 24,7 mil veículos por dia.

Dúvidas sobre a circulação podem ser esclarecidas pelo telefone 118, o “Fale Conosco Emdec”. Para chamadas realizadas a partir de outra cidade ou DDD, o telefone é ou (19) 3731-2910 ou (19) 3766-6910.

As informações são da Prefeitura de Campinas.
Leia também:
Consulta Pública propõe abertura total do mercado de energia