Secretaria de Saúde de Campinas confirma morte de mais um bebê que estava na UTI da Maternidade


A Secretaria de Saúde de Campinas informa que foi notificado o óbito de mais um bebê que estava internado na UTI neonatal da Maternidade de Campinas, no dia 23 de fevereiro. A causa da morte será investigada, para que saiba se está relacionada ou não com o surto de gastroenterite (diarreia), que já foi controlado. O motivo da morte de outros dois bebês também está em investigação pelas autoridades sanitárias. Outras causas estão sendo investigadas.

Em 16 de fevereiro, o Departamento de Vigilância em Saúde interditou a UTI Neonatal da Maternidade. A medida ocorreu por conta do número insuficiente de profissionais para atendimento dos bebês, situação identificada e com autos de infração para a entidade desde o final de 2022. A unidade está autorizada a funcionar com 20 leitos.

Várias medidas estão sendo adotadas pelas autoridades sanitárias e um Plano de Contingência para enfrentamento e contenção do surto foi exigido pelo departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) e implantado pelo hospital.
A Secretaria de Saúde está transferindo para o Caism e para a PUC as gestantes com risco de parto prematuro para que, ao nascerem, os bebês sejam internados nas UTIs destes hospitais.

O Devisa e o Departamento de Gestão e Desenvolvimento Organizacional (DGDO) da Secretaria de Saúde monitoram a situação de assistência das pacientes e das condições sanitárias; medidas estão sendo avaliadas diariamente para adequada condução.

Situação dos leitos em Campinas

Campinas dispõe de 35 leitos de UTI neonatal na Maternidade e no Hospital da PUC. O número é suficiente para atender às necessidades da população do município, de acordo com a Portaria Ministerial 930 (10/05/2012), que estabelece 2 leitos para cada 1.000 nascidos vivos, e com a Sociedade Brasileira de Pediatria, que estabelece 4 leitos para cada 1.000 nascidos vivos. Em 2022, pelo SUS Campinas, nasceram 7.458 crianças.

A Secretaria Municipal de Saúde tem monitorado a questão na Maternidade de Campinas e está em negociação para manter o quantitativo de leitos necessários para garantir o acesso a todas as gestantes e seus bebês.

A reforma nos leitos neonatais do Caism da Unicamp ocorre desde o segundo semestre de 2021 e tem sobrecarregado os leitos municipais. No ano de 2022, o Caism fez 5,5% dos partos de Campinas. A Secretaria de Saúde de Campinas está em contato com a Secretaria de Estado em busca de uma solução, por meio da Diretoria Regional de Saúde 7 (DRS-7), até o momento sem êxito.

O prefeito Dário Saadi, em reunião da RMC na semana passada, colocou em discussão a necessidade urgente da ampliação de leitos neonatais no Hospital de Sumaré e essa demanda será enviada ao Secretário de Saúde do Estado.

As informações são da Prefeitura de Campinas.
Leia também:
Como é a contratação de seguro em financiamento de automóvel

Conteúdo relacionado

Busque

Linhas de Campinas

Linhas de Paulínia

Linhas de Hortolândia

Linhas de Sumaré