Campinas nega manter qualquer contrato com a empresa Cobrasin, acusada da “indústria de multas” por radares

 Campinas nega manter qualquer contrato com a empresa Cobrasin, acusada da “indústria de multas” por radares

O funcionário da empresa Cobrasin, que citou a tão falada “indústria da multa” por radares de trânsito e exemplificou a cidade de Limeira como ‘referência’ na arrecadação de multas por quantidade, chegou a falar que Campinas contratou a mesma empresa para o serviço.

O prefeito Jonas Donizette desmentiu e disse que os valores pagos na cidade são fixos e por pontos instalados, e não por multas emitidas. Jonas também afirmou que Campinas não tem nenhum contrato com a Cobrasin, e sim com outra empresa.

A Cobrasin disse que as informações dadas pelo seu funcionário são mentirosas e que ele só trabalha com sinalização viária, não tendo autorização para falar em nome da empresa, por isso sequer poderia estar negociando qualquer coisa com quer que seja.


Por conta das denúncias feitas pela Rádio Bandeirantes, onde um funcionário da Cobrasin disse que instalava radares em pontos com maior possibilidade de multas e que o pagamento à empresa era feito apenas pelo número de infrações registradas, que era grande, a prefeitura de Limeira rompeu o contrato com ela.

Da Redação ODC.

Outras notícias