10 coisas sobre o BRT Campinas que a Emdec não te contou (ou esqueceu de contar)

·

·

·

Tags:

A Emdec, com seu departamento de marketing extremamente falho, deixou de explicar para a população algumas coisas sobre a operação do BRT. Isso ficou muito nítido pelas perguntas que a população costuma fazer diariamente, e ainda recebe respostas muitas vezes sem pé e nem cabeça. Por isso, o ODC vai esclarecer 10 pontos que a própria gestora do transporte em Campinas não conseguiu explicar, por mais simples que seja.

1 – O QUE É O BRT? E POR QUÊ ELE NÃO É UMA SIMPLES LINHA DE ÔNIBUS?
O BRT é um sistema de transporte, e não uma linha de ônibus. A Emdec subvaloriza o sistema dizendo que são apenas “linhas de ônibus”, dando a entender que elas vão simplesmente substituir as linhas antigas, que agora chamam de “convencionais”, mesmo que errado. BRT é sigla de Bus Rapid Transit, ou em português, Ônibus de Trânsito Rápido. Dessa forma, os ônibus do BRT funcionam como se fosse um metrô sobre rodas, com ônibus grandes, boa frequência e em faixas exclusivas. Por isso os corredores devem estar sempre livres para que os ônibus tenham passagem direta para chegar mais rápido. Assim como o metrô, o trem suburbano, o ônibus “convencional”, o avião, o BRT é um sistema de transporte.

2 – POR QUÊ O BRT PARA (OU DEVERIA PARAR) EM TODAS AS ESTAÇÕES, MESMO SEM PASSAGEIROS?
Como o BRT é um sistema de transporte, e nesse sistema todas as estações devem ser atendidas, assim como na rede metroviária. O metrô para em todas as estações, mesmo que não tenha ninguém para subir ou descer, porém como essas paradas são mais espaçadas do que os pontos de ônibus comuns, os BRTs devem fazer o atendimento em todas elas. Hoje talvez não faz muito sentido essas paradas em todas as estações, porém quando tudo estiver funcionando como deveria (se é que vai, pois com essa operação improvisada da Emdec…), o movimento será maior e as paradas se justificarão. Hoje ainda alguns motoristas insistem em passar reto, mas como nem a Emdec está aí pra isso… Fica esse improviso mal feito.

3 – A INTEGRAÇÃO NOS TERMINAIS DO BRT É GRATUITA (EXCETO NO TERMINAL CENTRAL)
Notem que ninguém falou até hoje que a integração dentro dos terminais do BRT é gratuita. Até hoje tem gente descendo no Terminal Campos Elíseos perguntando se precisa pagar outra passagem para pegar outro ônibus lá dentro, pois no panfleto explicativo mal feito não tem nada falando disso, como se a população tivesse a obrigação de saber. Ao descer de qualquer linha, pode pegar qualquer outra linha dentro do terminal, inclusive do BRT, sem ter que pagar passagem de novo.
No Terminal Central a integração não funciona, pois lá o pagamento de passagem ainda deve ser feito diretamente no ônibus, o que, convenhamos, atrasa as viagens.

4 – TEMPO DE VIAGEM DO BRT CONTA TAMBÉM AS ALIMENTADORAS!
Até hoje os videozinhos mal feitos da Emdec não contabilizam o tempo de viagem das linhas alimentadoras e seus tempos de espera absurdo nos terminais de bairro. Mesmo com o BRT em operação improvisada, as linhas que vão para os bairros partindo dos terminais Ouro Verde, Campo Grande e Campos Elíseos continuam com intervalos ridículos. A Emdec não conta, por exemplo, que o passageiro hoje, para ir a algum bairro do Ouro Verde, tem que pegar o BRT10, que é rápido, mas tem que descer no Terminal Ouro Verde e muitas vezes ficar esperando até 40 minutos por alguma linha lá. A espera no Campos Elíseos chega a 1 hora em algumas linhas. Lembra do videozinho do menino e da menina “concorrendo” no BRT20 e na linha 212 pra saber quem chega mais rápido no Centro? “Esqueceram” de contar que eles deveriam ter vindo de alguma linha de bairro, com intervalo altíssimo e demorado.
Ao contabilizar o tempo de BRT para saber se ele é realmente vantajoso, deve-se considerar, por exemplo:
LINHA 164 – Partindo de algum ponto da Vila União direto para o Centro – Cerca de 45 minutos (Se considerar que a pessoa perdeu o primeiro ônibus e teve que esperar 50 minutos pelo outro, pode-se contabilizar um total de 95 minutos).
LINHA 167 + BRT – Partindo de algum ponto da Vila União para descer no Terminal Campos Elíseos e integrar com o BRT – Cerca de 45 minutos (Pelo menos 25 minutos dentro do ônibus, mais 5 para andar dentro do terminal pois a plataforma é longe, mais 5 esperando o BRT e mais 10 dentro do BRT). Se contabilizar a espera de 1 hora no ponto, pode por 105 minutos, ou seja, ainda mais demorado.
Enquanto a Emdec não melhorar as alimentadoras de todos os terminais, o BRT não será vantajoso.

5 – POR QUÊ O BRT AINDA PARA EM TANTOS SEMÁFOROS?
Tanto na Avenida das Amoreiras quanto na Avenida John Boyd Dunlop houve um entupimento absurdo de semáforos, fazendo com que o BRT fique parando toda hora. Os “semáforos inteligentes” prometidos pela gestão anterior da Emdec ainda não funcionam pois os ônibus estão sem o aparelho que fazem o sinal abrir quando eles se aproximam. Enquanto isso não acontece, o BRT continuará cada vez mais lerdo, até porque toda hora a Emdec instala semáforos novos por toda a cidade.

6 – POR QUÊ O TERMINAL CAMPOS ELÍSEOS NÃO ATENDE A AV. MIRANDÓPOLIS E NEM O SUPERMERCADO PAGUE MENOS?
Pode soar como absurdo, mas as linhas alimentadoras do Terminal Campos Elíseos não atendem a Av. Mirandópolis, por onde passam muitos passageiros. No Supermercado Pague Menos há um grande número de passageiros que sobem e descem dos coletivos, mas nenhum ônibus que sai do terminal novo passa lá. A Emdec esqueceu que nesse trecho há muitos idosos que estão sendo jogados para a Estação Pompeia, tendo que subir a pé até o mercado em um trecho perigoso. A justificativa é que o retorno dos coletivos deve ser feito antes do supermercado, deixando a região desatendida. Sobre a Mirandópolis, ainda estariam em andamento aqueles “estudos” intermináveis, feitos por quem não anda de ônibus.

7 – NÃO PRECISA APERTAR CAMPAINHA PARA DESCER NO BRT
O BRT, como explicado acima, tem que parar em todas as estações, mesmo com ou sem passageiros. Por isso, não é necessário apertar a campainha do coletivo para descer na estação seguinte, é só aguardar a parada e fazer o desembarque.

8 – ÔNIBUS DO BRT TÊM RAMPA PARA CADEIRANTES
Se você é usuário de cadeira de rodas, os ônibus do BRT são dotados de rampa dobrável na primeira porta. Assim não é preciso passar a roda pelo vão que fica entre o degrau da plataforma e o ônibus. É só puxar a argola da rampa, descer ela até o degrau, fazer o embarque e guardar novamente a rampa. Dessa forma, o embarque é feito de forma segura.

9 – POR QUÊ O BRT NÃO FAZ PARADA NA AVENIDA MORAES SALLES?
Esse é um assunto polêmico mas como sempre, muito mal explicado pela Emdec. O objetivo é fazer com que o BRT tenha o mínimo de paradas possível no Corredor Central e isso é totalmente compreensível, mas ela não explica porquê tem 3 paradas na Irmã Serafina / Anchieta e nenhum na Moraes Salles e na Senador Saraiva. Era só tirar uma parada da Irmã Serafina, até porque os MESMOS ônibus que param na Moraes Salles, vão parar lá também. Se for pra pegar ônibus de Sousas, é só pegar na Prefeitura. A troca de ponto resolveria o problema, mas a má vontade é mais forte.

10 – POR QUÊ OS CARROS NÃO PODEM USAR A FAIXA DO BRT?
Bom, essa pergunta é meio óbvia e já foi respondida acima. Antigamente na Avenida das Amoreiras já existia o corredor de ônibus e duas faixas para os carros, que já ficavam parados no trânsito. Não mudou nada, só o corredor que ficou aberto. Se não podia usar antes, continua não podendo agora. A faixa é só para o BRT, que ainda segue improvisado mas espera-se que haja boa vontade de implantar ele de forma correta, o que vai aumentar o tráfego ali. Carros, seguem nas faixas laterais, assim como em qualquer lugar civilizado do mundo.

Mais alguma dúvida? Deixe nos comentários.

Da Redação ODC.
Leia também:
Campinas emite alvará para reforma de prédio no Centro dentro da Lei de revitalização