Acidente mostra falhas na estrutura e operação de terminal do BRT em Campinas

 Acidente mostra falhas na estrutura e operação de terminal do BRT em Campinas

O incidente que culminou na queda da traseira de um ônibus no Terminal Santa Lucia em Campinas reforça uma narrativa que está correndo pela cidade toda: as obras do sistema BRT foram mal feitas?

Nesta última terça-feira, dia 15/06, um coletivo articulado teve a traseira arrancada depois de uma manobra na plataforma da direita, destinada inicialmente aos ônibus do sistema alimentador, que ainda não estão em funcionamento.

Como há várias colunas de sustentação do telhado nessa plataforma, que é mais baixa, o ônibus acabou “enroscando” em uma dessas peças de metal, arrancando toda a carcaça traseira do coletivo.


Em outros sistemas de BRT, onde há colunas do mesmo jeito, o ônibus não pode fazer a ultrapassagem, ou seja, anda sempre em linha reta, mas no caso do Terminal Santa Lucia há uma faixa de passagem no meio, ou seja, é possível ultrapassar, mas quando o coletivo vai sair à esquerda do ônibus à frente, a traseira tende a rotacionar para dentro da plataforma, colocando também passageiros em risco.

Na matéria anterior o ODC indicou que houve uma falha do motorista ao fazer a ultrapassagem, porém acabou desconsiderando a estrutura do terminal, que foi projetado para uma operação e está tendo uma outra, no momento inadequada, e por isso se retrata através desta matéria.

Para que haja segurança dos passageiros e até dos motoristas, a tal plataforma à direita não deveria comportar veículos articulados, o que não deverá acontecer no sistema BRT, mas enquanto segue essa operação improvisada, é possível que mais acidentes aconteçam, e por culpa da estrutura.

Da Redação ODC.
Leia também: Segundo dados, desemprego afeta 21,6% da comunidade LGBTQIA+

Outras notícias